IPCA
0,83 Abr.2024
Topo

Todos a Bordo

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Óvnis nos EUA foram derrubados por míssil de R$ 2,4 mi; um não acertou alvo

Míssil AIM-9X preso à ponta da asa de um caça F-35A Lightning II - Heather Leveille/Força Aérea dos EUA
Míssil AIM-9X preso à ponta da asa de um caça F-35A Lightning II
Imagem: Heather Leveille/Força Aérea dos EUA

Por Alexandre Saconi

Colaboração para o UOL, em São Paulo

18/02/2023 04h00

Receba os novos posts desta coluna no seu e-mail

Email inválido

Derrubar quatro objetos voadores neste mês custou aos EUA R$ 12 milhões só com os mísseis empregados. Foram disparados cinco. Um deles errou o alvo.

Foram empregados dois modelos de caça, o F-22 e o F-16

  • Os aviões usaram um tipo de míssil bem conhecido dos norte-americanos, o AIM-9X Sidewinder.
  • Cada um desses mísseis custa aproximadamente US$ 468 mil (R$ 2,4 milhões).
  • Esse é o preço estimado para 2021, segundo dados do orçamento militar dos EUA.
  • Assim, os cinco disparos, sem levar em conta as horas de voo dos aviões e os serviços de recuperação dos destroços, já custaram mais de R$ 12 milhões para os norte-americanos.

Míssil errou o alvo

No domingo (12), os militares derrubaram o quarto objeto voador, que estava sobre a região do lago Huron, que fica próximo à fronteira entre os EUA e o Canadá.

  • Segundo o general Mark A. Milley, chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas dos EUA, todos os três primeiros abates foram certeiros.
  • No quarto objeto, o primeiro disparo de um AIM-9X Sidewinder errou o alvo, sendo necessário efetuar um segundo disparo para derrubar o óvni.
  • Como não acertou seu objetivo, o míssil não explodiu, caindo em seguida.
  • De acordo com o militar, ele pousou nas águas do lago Huron.

"Nós rastreamos o míssil todo o caminho. Garantimos que o espaço aéreo estivesse livre de qualquer tráfego comercial, civil ou recreativo", afirmou Milley à imprensa durante coletiva.

Como ele funciona?

O AIM-9X, modelo usado no abate do balão e dos óvnis, é um míssil que pode ser usado em combate aéreo, ataque ao solo e ser lançado diretamente da superfície sem precisar passar por modificações.

  • O míssil segue o calor emitido pelo seu alvo, usando um sistema de orientação infravermelho.
  • Isso torna ele muito eficiente em combates a curta distância com caças, já que ele segue o calor do motor da outra aeronave.
  • Esse é um modelo supersônico, tornando difícil escapar dele.
  • O Sidewinder tem uma ogiva explosiva, que é acionada quando ele chega ao seu destino.
  • Sua propulsão se dá por um motor de foguete que queima combustível sólido.
  • Após ser disparado, seus sistemas de rastreamento óptico e infravermelho direcionam o míssil até o alvo por meio de superfícies de controle.

Como ele é guiado por infravermelho, é possível ser utilizado em combates diurnos e noturnos. Junto a isso, após ser disparado, o piloto pode deixar o local de combate, pois seus sistemas automatizados dispensam que ele permaneça próximo a outra aeronave para marcá-la como alvo.

Ficha técnica

Aim-9x - Marinha dos EUA - Marinha dos EUA
Militar inspeciona míssil da família AIM-9 na asa de um F/A-18C Hornet no porta-aviões USS Ronald Reagan
Imagem: Marinha dos EUA

Míssil AIM-9X
Função principal: Ataque ar-ar
Fabricante: Raytheon
Comprimento: 2,87 metros
Diâmetro: 13 centímetros
Diâmetro com as barbatanas: 63 centímetros
Peso: 85,5 quilos
Entrada em operação do primeiro modelo: 1956
Velocidade: Estimada em Mach 2,5 (Duas vezes e meia a velocidade do som)
Alcance: Até cerca de 35 quilômetros de distância
Modelos: AIM-9X, AIM-9L, AIM-9R, AIM-9M, entre outros

Fontes: Departamento de Defesa, Força Aérea e Marinha dos Estados Unidos