Bolsas

Câmbio

Bolsa tem 6ª alta e atinge maior nível desde maio de 2015; no ano, sobe 26%

Do UOL, em São Paulo

Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, fechou esta quarta-feira (13) em alta de 0,63%, a 54.598,28 pontos. Foi o sexto avanço seguido da Bovespa, que havia subido 0,55% na véspera.

Esta é a maior pontuação de fechamento desde 25 de maio de 2015, quando o índice terminou o dia a 54.609,25 pontos.

Com isso, a Bolsa também acumula ganho de 5,96% no mês e de 25,95% no ano.

A alta de hoje foi puxada, principalmente, pelo desempenho positivo das ações dos bancos e da mineradora Vale, que têm grande peso sobre o Ibovespa. 

Bancos sobem

As ações do Bradesco (BBDC4) subiram 2,22%, a R$ 27,18. 

As ações do Itaú Unibanco (ITUB4) avançaram 2,06%, a R$ 32,64, e aações do Banco do Brasil (BBAS3) ganharam 1,46%, a R$ 18,05.

Os papéis do banco foram influenciados por decisão da Câmara dos Deputados, que aprovou na véspera a medida provisória que permite uso de parte dos recursos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) e da multa rescisória como garantia de empréstimo consignado.

Vale ganha 1,43%

As ações preferenciais da Vale (VALE5), que dão prioridade na distribuição de dividendos, se valorizaram 1,43%, a R$ 14,17.

As ações ordinárias da Vale (VALE3), com direito a voto em assembleia, tiveram alta de 0,73%, a R$ 17,82.

JBS salta 4,6%

As ações da JBS (JBSS3), dona das marcas Friboi e Seara, saltaram 4,6%, a R$ 10. Foi a maior alta do Ibovespa no dia.

Na véspera, o BTG Pactual disse que continuava "comprador" do papel entre outros do setor de alimentos, e que esperava melhora à frente das exportações de carne.

Petrobras perde 2,26%

No sentido oposto, as ações ordinárias da Petrobras (PETR3) caíram 2,26%, a R$ 12,99.

As ações preferenciais da Petrobras (PETR4) perderam 0,19%, a R$ 10,63.

Os papéis da estatal foram influenciados pela queda de mais de 4% nos preços do petróleo no mercado internacional. Além disso, o banco Barclays cortou a recomendação para as ações da empresa.

Dólar cai 0,71%, a R$ 3,274

No mercado de câmbio, o dólar comercial fechou em queda de 0,71%, cotado a R$ 3,274 na venda. É a segunda baixa seguida da moeda norte-americana, que havia caído 0,36% na véspera.

Apesar da baixa de hoje, o dólar ainda acumula alta de 1,9% no mês. No ano, no entanto, a moeda acumula desvalorização de 17,06%.

Bolsas internacionais

A maioria das Bolsas de Valores da Europa fechou em baixa, após quatro sessões seguidas de ganhos. Apenas a Bolsa da França teve leve alta.

  • França: +0,09%
  • Inglaterra: -0,15%
  • Alemanha: -0,33%
  • Espanha: -0,38%
  • Portugal: -0,78%
  • Itália: -1,15%

As Bolsas da Ásia e do Pacífico foram no sentido oposto e terminaram o dia em alta.

  • Japão: +0,84%
  • Coreia do Sul: +0,72%
  • Austrália: +0,66%
  • Hong Kong: +0,46%
  • China: +0,36%
  • Cingapura: +0,3%
  • Taiwan: +0,18%

(Com Reuters)

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos