ipca
0,45 Out.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Cotações

Dólar opera em alta e passa de R$ 4,19, e Bolsa cai, com receios eleitorais

Do UOL, em São Paulo

13/09/2018 12h57Atualizada em 13/09/2018 17h22

dólar comercial operava em alta nesta quinta-feira (13), e a Bolsa registrava queda. Por volta das 16h15, o dólar subia 1,13%, a R$ 4,192 na venda. O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, registrava baixa de 0,50%, a 74.704,12 pontos.

Os investidores retomaram a cautela diante da cena eleitoral brasileira indefinida, a poucas semanas do pleito. Resultados de pesquisas eleitorais, notícias e boatos sobre candidatos deixam o mercado financeiro agitado, favorecendo a especulação na Bolsa de Valores e no câmbio.

O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial. Para turistas, o valor sempre é maior.

Leia também:

Cautela com eleições

"Os mercados seguem atentos às pesquisas e também aos boletins médicos após nova cirurgia em Jair Bolsonaro que, apesar de passar bem, segue na UTI, com cuidados redobrados", escreveu a Advanced Corretora em relatório.

Na noite passada, o líder das pesquisas de intenção de votos passou por uma nova cirurgia, e seu retorno à campanha pode ser afetado. 

O mercado aguardava ainda novas pesquisas de intenção de votos, com destaque para o Datafolha, na sexta-feira. Os dados para esse levantamento estão sendo colhidos nesta quinta-feira.

Os investidores temem que um candidato que considere menos comprometido com o ajuste das contas públicas ganhe a disputa pela Presidência em outubro.

Cenário externo

Para contrabalançar o nervosismo com as eleições, o mercado externo estava em dia de busca pelo risco, após a Turquia elevar os juros e os dados de inflação ao consumidor nos Estados Unidos não reforçarem apostas de aumento mais intenso de juros no país.

"Se o núcleo da inflação não melhorar significativamente no próximo ano, isso resultaria em ritmo ainda mais gradual de elevação das taxas", comentou o analista da gestora CIBC Andrew Grantham, em nota.

Juros elevados nos EUA podem atrair para lá recursos aplicados em outros países, como o Brasil.

Na véspera, os Estados Unidos convidarem os chineses para retomar as conversas comerciais, no momento em que Washington se preparava para intensificar a guerra comercial entre os dois países, impondo mais tarifas sobre importações da China.

Atuação do BC

O Banco Central brasileiro ofertou e vendeu integralmente 10,9 mil swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares, rolando US$ 4,360 bilhões do total de US$ 9,801 bilhões que vencem em outubro. Se mantiver essa oferta diária e vendê-la até o final do mês, terá feito a rolagem integral.

(Com Reuters)