PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Cotações

Empresas de turismo despencam na Bolsa; Gol, Azul e CVC caem mais de 30%

Do UOL, em São Paulo

12/03/2020 11h12Atualizada em 12/03/2020 16h55

As ações de empresas ligadas ao turismo enfrentam um dia de forte queda na Bolsa brasileira nesta quinta-feira (12), com tombos de mais de 30%. Por volta das 13h30, as ações da Gol (GOLL4) tinham desvalorização de 37,06%, a R$ 9,85; as da CVC (CVCB3) caíam 34,93%, a R$ 12,52; e os papéis da Azul (AZUL4) perdiam 33,55%, a R$ 20,10.

A queda dessas empresas contribui para o tombo do Ibovespa. As negociações do principal índice da Bolsa brasileira precisaram ser suspensas duas vezes após atingir quedas de 10% e 15%.

Empresas do setor aéreo em todo o mundo sofrem fortes perdas nas Bolsas, após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, restringir viagens da Europa para os EUA, agravando as preocupações sobre o impacto econômico do novo coronavírus.

A decisão afeta diretamente as empresas aéreas. No Brasil, Azul e Latam já anunciaram cortes na oferta de voos internacionais.

Com a medida de Trump, passageiros com viagem agendada terão de remarcar voos, e o comércio internacional fica comprometido, elevando os riscos de uma recessão econômica.

Azul divulgou prejuízo

A Azul reportou nesta quinta-feira prejuízo líquido de R$ 2,3 bilhões no quarto trimestre de 2019, afetado por despesas consideradas não-recorrentes, e suspendeu as projeções para 2020, além de adotar outras medidas, em razão da incerteza relacionada com o impacto da propagação do coronavírus.

Um ano antes, a empresa teve lucro líquido de R$ 697,2 milhões no mesmo período.

A Azul disse também, em comunicado, que está monitorando o impacto potencial da covid-19 em seus resultados de 2020 e que decidiu suspender as projeções para o ano. A empresa acrescentou que, com base nas melhores informações disponíveis, também decidiu pela redução da capacidade internacional entre 20% a 30% em relação ao plano original.

A empresa decidiu ainda pela redução do crescimento doméstico de forma preventiva e anunciou que novas contratações estão suspensas, enquanto vai lançar programa de licença não remunerada. A empresa também disse que está em negociação de novas condições de pagamento com parceiros para preservar caixa.

Ainda optou pela continuidade no plano de substituição de E1s por E2s, mas comunicou a suspensão das entregas incrementais.

A Gol ainda não divulgou o impacto do coronavírus esperado nas operações. As companhias na Europa e na América do Norte reduziram previsões de lucro.

(Com Reuters)

Veja mais economia de um jeito fácil de entender: @uoleconomia no Instagram.
Ouça os podcasts Mídia e Marketing, sobre propaganda e criação, e UOL Líderes, com CEOs de empresas.
Mais podcasts do UOL no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas

Cotações