PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Cotações

Dólar interrompe 4 quedas e fecha em alta, a R$ 5,518; Bolsa perde 1,07%

Marcos Brindicci
Imagem: Marcos Brindicci

Do UOL, em São Paulo

22/03/2021 17h34Atualizada em 22/03/2021 18h14

O dólar comercial fechou em alta de 0,59% nesta segunda-feira (22), cotado a R$ 5,518 na venda, após quatro quedas seguidas. O Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores brasileira, fechou em queda de 1,07%, aos 114.978,86 pontos.

Os papéis da Embraer caíram 7,44%, enquanto as ações do Pão de Açúcar lideraram os ganhos na Bolsa, com valorização de 5,05%.

O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial. Para quem vai viajar e precisa comprar moeda em corretoras de câmbio, o valor é bem mais alto.

"Cerco ao negacionismo do presidente"

No cenário doméstico, a política e a situação da pandemia de covid-19 seguem no radar dos investidores. "Aqui, parece mesmo que o cerco ao negacionismo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) está se fechando, a cada dia", opinou em nota Ricardo Gomes da Silva, superintendente da Correparti Corretora, à agência de notícias Reuters.

A ofensiva do presidente Bolsonaro contra medidas de restrição impostas por governadores e prefeitos para conter o avanço da covid-19 gerou críticas entre os parlamentares na semana passada, que apontaram excesso e interesse eleitoral na movimentação.

Enquanto isso, vários economistas e empresários assinaram uma carta de alerta sobre a situação da pandemia no Brasil e seu agravamento, cobrando do governo aceleração do ritmo de vacinação e medidas de distanciamento social.

"Reações do centrão rompendo a 'lua de mel' com o presidente e a carta dos economistas, divulgada no fim de semana e subscrita por representantes do setor financeiro, aumentam a temperatura em Brasília, em meio à maior crise sanitária já vivida pelo país", explicou à Reuters Gomes da Silva.

Cenário externo

No cenário externo, houve instabilidade depois que o presidente da Turquia, Tayyip Erdogan, substituiu o presidente do banco central por um crítico da altas de juros, deixando a lira em queda livre e enviando ondas de choque pelos mercados de câmbio globais.

A intervenção de Erdogan no banco central do país gerou preocupação e afetou moedas de outros países emergentes, como o Brasil.

Para Dan Kawa, sócio da TAG Investimentos, "o problema da Turquia é pontual e localizado" e não tem "semelhanças com outros países", mas ele disse que, no curto prazo, a forte queda dos ativos do país pode levar a algum contágio a outros mercados, como o Brasil, por "efeitos técnicos de redução de posições relativas e absolutas, assim como para fins de redução de risco (...)."

(Com Reuters)

UOL Economia+ fará evento para quem quer investir

Entre 23 e 25 de março, o UOL Economia+ e a casa de análises Levante Ideias de Investimento realizarão evento online gratuito. O economista Felipe Bevilacqua, analista certificado e gestor especialista da Levante, comandará três grandes aulas para explicar ao leitor do UOL como assumir as rédeas do próprio dinheiro.

O evento é gratuito para todos os leitores UOL. Garanta o seu lugar no evento aqui.

Ao clicar em “Enviar”, você concorda com a Política de Privacidade do Grupo UOL e aceita receber e-mails de produtos e serviços do Grupo UOL e demais empresas integrantes de seu grupo econômico. O Grupo UOL utiliza as informações fornecidas para entrar em contato ofertando produtos e serviços. Você pode deixar de receber essas comunicações quando quiser.

PUBLICIDADE

Cotações