PUBLICIDADE
IPCA
0,47 Mai.2022
Topo

Cotações

Dólar sobe a R$ 5,541, e Bolsa fica quase estável com incerteza sobre PEC

Yuriko Nakao/Reuters
Imagem: Yuriko Nakao/Reuters

Do UOL*, em São Paulo

08/11/2021 18h15

O dólar comercial começou a semana subindo 0,33%, e terminou a segunda-feira cotado a R$ 5,541 na venda. Apesar da alta, o valor ficou longe da máxima do dia, de R$ 5,598, com investidores dividindo atenções entre as incertezas em torno da PEC dos Precatórios e a agenda de indicadores econômicos norte-americanos desta semana.

A moeda norte-americana vem intercalando resultados desde o início deste mês, sem acumular duas altas ou baixas consecutivas desde o dia 1º.

Já o Ibovespa ficou quase estável, oscilando 0,04%, e fechou aos 104.781,13 pontos. O principal índice da Bolsa de Valores brasileira (B3) não chega aos 110 mil pontos desde o dia 20 de outubro. A partir de hoje, o pregão passa a funcionar até as 18h, para acompanhar o fim do horário de verão nos Estados Unidos.

O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial. Para quem vai viajar e precisa comprar moeda em corretoras de câmbio, o valor é bem mais alto.

PEC dos Precatórios

Com segundo turno previsto para amanhã, o resultado da votação da PEC dos Precatórios ainda é incerto. Na última sexta-feira, a ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Rosa Weber suspendeu a execução orçamentária das emendas de relator, chamadas de "orçamento secreto", usadas nas negociações para conseguir votos favoráveis à PEC dos Precatórios.

A PEC, que altera as regras sobre as dívidas do governo cujo pagamento foi determinado pela Justiça, abre espaço fiscal para um benefício social temporário até o final de 2022, quando o presidente Jair Bolsonaro deve tentar a reeleição.

Na semana passada, o texto-base da proposta foi aprovado em primeiro turno na Câmara dos Deputados por uma margem pequena, o que trouxe desconfiança sobre uma segunda aprovação, esperada para a terça-feira —e necessária antes de seguir para o Senado.

"A decisão da ministra já atrasa a votação em segundo turno na Câmara, prevista para essa semana, além de dar tempo para a oposição articular junto aos deputados, visando mudar o placar favorável ao governo", afirmou a equipe da CM Capital.

O plenário do Supremo Tribunal Federal irá avaliar a decisão de Weber em sessão extraordinária virtual entre terça e quarta-feira.

O líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), porém, garantiu que a votação do segundo turno da PEC ocorrerá nesta terça-feira e que ela será aprovada.

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL) tinha reunião marcada com o presidente da Corte, Luiz Fux, para o fim desta tarde.

*Com Reuters

Cotações