Conteúdo publicado há 9 meses

Bolsa cai pela 8ª vez consecutiva; dólar tem queda com falas de Campos Neto

O dólar comercial encerrou a sessão desta quinta-feira (10) em queda de 0,47%, cotado a R$ 4,882.

O Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores brasileira (B3), teve leve queda de 0,05% e fechou aos 118.349,60 pontos. Esta foi a oitava queda consecutiva do Ibovespa.

Cenário interno:

Presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, falou sobre o combate à inflação. Campos Neto fez uma defesa da atuação do Banco Central no combate à inflação e disse que a instituição está conseguindo um "pouso suave" contra a alta de preços. Ao mesmo tempo, pontuou que a inflação de serviços no Brasil "preocupa um pouco mais", citando que o núcleo continua alto.

Mercado espera por novas reduções da taxa de juros. Na semana passada, o BC cortou os juros em 0,5 ponto percentual, de 13,75% para 13,25%. A ata do Copom indica a possibilidade de cortes da mesma magnitude nas próximas reuniões.

Balanços corporativos tiveram peso no pregão de hoje. Grupo Soma e Rede D'Or ficaram entre as maiores perdas. Do outro lado, Azul e Hapvida foram destaques positivos.

A última vez em que o Ibovespa recuou por oito sessões foi em junho do ano passado. Mais do que isso, apenas em fevereiro de 1995, quando fechou em baixa por nove pregões seguidos.

O Brasil foi capaz de combater a inflação com aumento de juros menor que a média dos países.
Campos Neto, presidente do Banco Central

Cenário externo:

O dólar ampliou as perdas ante o real logo após a divulgação de novos dados de inflação e de emprego nos Estados Unidos. A queda aconteceu em sintonia com o movimento da moeda norte-americana ante outras divisas de emergentes ou exportadores de commodities no exterior.

Continua após a publicidade

O índice de preços ao consumidor dos EUA subiu 0,2% em julho. O dado veio em linha com a projeção de economistas. Já os pedidos de auxílio-desemprego somaram 248 mil na semana passada, 7,8% acima da estimativa de 230 mil.

O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial (saiba mais clicando aqui). Para quem vai viajar e precisa comprar moeda em corretoras de câmbio, o valor é bem mais alto.

(Com Reuters)

Deixe seu comentário

Só para assinantes