ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Empreendedorismo

Motorista do Uber fatura R$ 10 mil com YouTube, banheiro e café para colega

Acervo pessoal
Marlon Luz criou canal no YouTube para dar dicas a motoristas do Uber Imagem: Acervo pessoal

Patrícia Büll

Colaboração para UOL, de São Paulo

04/04/2018 04h00

Como tantos trabalhadores, Marlon Luz, 37, virou motorista de aplicativo de transporte para complementar a renda. Em junho de 2015, seguindo os passos da esposa, entrou no Uber. Com o prolongamento da crise, perdeu o emprego em uma empresa de tecnologia e o que era um bico se transformou em sua principal fonte de renda.

Ele passou a trabalhar dez horas diárias como motorista para todas as plataformas, e conseguia uma remuneração média de R$ 6.000 por mês. “Percebi então que minha remuneração ficava bem acima da de outros motoristas que tinham a mesma carga horária. Foi quando decidi criar um canal de vídeo no YouTube dando dicas para outros motoristas”, diz.

Leia também:

Vídeos sobre como é a vida de um motorista do Uber

O Uber pagava na ocasião R$ 500 por indicação de novos motoristas. Então, no final de cada vídeo, ele fornecia o próprio código e pedia que quem fosse se candidatar indicasse esse número. A estratégia deu tão certo que o Uber não gostou e acabou tirando o código do motorista. Mesmo assim, ele continuou com o canal, que já tem quase 370 mil inscritos.

Ele atualiza o canal com dois novos vídeos por semana com dicas para quem quer entrar na plataforma, contando como é a vida de um motorista de aplicativo, e ainda fala sobre entretenimento.

Dá cursos online e vende bolsas térmicas para água e balas

Com a grande procura, passou a formatar cursos online e fez uma parceria com uma empresa de embalagens para vender bolsas térmicas para que os motoristas levem água e as famosas ‘balinhas’ para os passageiros.

Ele não revela quanto cobra pelos cursos, mas afirma que o motorista recupera o investimento em um mês seguindo as dicas. Quanto às bolsas, já vendeu 15 mil unidades ao custo de R$ 57 cada.

Ponto de apoio para motoristas com banheiro, micro-ondas e café

E ele não parou por aí. Em dezembro, inaugurou um ponto de apoio para motoristas de aplicativos na avenida Ricardo Jafet, 1.730, Vila Mariana, em São Paulo. Funciona como um pit stop: tem banheiro, micro-ondas, água, café, biscoitos e área para limpar o automóvel. "Tudo de graça”, diz o empreendedor. 

Ele conta que investiu R$ 18 mil para equipar o contêiner, que fica dentro de um estacionamento, valor que espera recuperar ainda no primeiro semestre deste ano. Para isso, conta com o patrocínio de uma empresa de produtos de limpeza automotiva (Braclean) que vende os produtos ali, para quem precisar. Ele também vende balas e as bolsas térmicas. Ao todo, fatura em média R$ 10 mil por mês.

Para dar conta de tantos negócios, diminuiu a carga horária como motorista para 15 horas semanais. “Não posso deixar de lado porque no fundo é isso que me mantém em contato com o tema de que trato nos vídeos e com as demandas dos motoristas”, diz.

Ver-se como empreendedor, e não autônomo, fez a diferença

Para o gerente do Sebrae São Paulo, Alexandre Robazza, o grande diferencial do Marlon foi enxergar-se como empreendedor.

“Ele percebeu a importância de ter uma gestão do negócio, controle financeiro e estabelecer metas –tudo que um bom empreendedor deve seguir. Isso fez a diferença, já que de um modo geral os motoristas não se veem como empreendedores, mas como autônomos e por isso descuidam desses detalhes.”

Foi essa visão também que o fez abrir os outros negócios, avalia Robazza. Ele diz que a grande virtude das três plataformas em que Marlon atua é a sinergia entre elas. “Ele conseguiu ser muito eficiente em entender que são negócios diferentes, embora complementares”, diz o gerente do Sebrae.

Por isso mesmo, afirma, talvez esse não seja um modelo replicável. “Não sei se outros motoristas teriam o mesmo sucesso trilhando o mesmo caminho, pois fica mais difícil entrar num segmento que já é bastante eficiente”, salienta Robazza.

De qualquer forma, ele diz que um cuidado que o empreendedor precisa ter é a relação hora/homem para lidar com todas as plataformas ao mesmo tempo. “Embora exista sinergia, os negócios são independentes e têm possibilidade de escala –exceto a de motorista. Com o tempo, talvez ele deva diminuir ainda mais a atuação como motorista para se dedicar às outras tarefas, mantendo a direção apenas como uma validação para os demais negócios. Uma espécie de selo para dar autenticidade do que faz.” 

Onde encontrar:

Uber do Marlon (YouTube): https://www.youtube.com/channel/UCTHuWvQ21wbpYtZz92EUVjA

Ponto de apoio motorista top - avenida Ricardo Jafet, 1.730, Vila Mariana, São Paulo

Mais Empreendedorismo