ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Empreendedorismo

Empresa aluga "detector de cano" para não furar tubulação e achar vazamento

Claudia Varella

Colaboração para o UOL, em São Paulo

26/04/2018 04h00

Vai furar a parede do banheiro para colocar o box e não tem ideia por onde passa a tubulação de água? Ou vai pregar um quadro na sala e não sabe se há fiação elétrica ali? É possível usar um "detector de canos" para evitar uma bagunça em casa ou o risco de choque elétrico. E não é preciso comprar o aparelho, ele pode ser apenas alugado.

O equipamento é um dos destaques da Casa do Construtor, rede especializada justamente em locação de equipamentos para construção. O “detector de canos” funciona quando é colocado junto à parede. Ele também encontra vazamento de água. O aluguel varia de R$ 100 a R$ 120 por dia.

Com sede em Rio Claro (173 km a noroeste de São Paulo), a empresa atende pequenas reformas ou grandes obras e tem aparelhos como lixador de teto (para lixar superfícies altas sem a necessidade de usar escadas), lavadora de pisos e revestimentos (para a limpeza de azulejos e rejuntes), betoneiras, andaimes, escadas, furadeiras, contêineres e tratores, entre outros.

Leia também:

Nem todas as 250 unidades da rede têm, no entanto, todos esses equipamentos disponíveis. “A gente adapta à necessidade daquele local. Se não tiver na unidade, a rede tem um sistema que interage com outras lojas para ver se o equipamento está disponível lá”, diz Altino Cristofoletti Junior, 57, um dos sócios da empresa e presidente da ABF (Associação Brasileira de Franchising).

Segundo ele, os equipamentos são importados dos Estados Unidos, Europa e China.

A locação dos equipamentos tem preço variado, de acordo com cada unidade da rede.

Amigos de infância que viraram engenheiros e sócios

Cristofoletti e Expedito Arena, 62, se conheceram numa comunidade da igreja, formaram-se engenheiros civis na década de 1980 e montaram suas próprias empreiteiras em Rio Claro.

Em 1993, eles abriram a Casa do Construtor, na época um depósito de material de construção que vendia pedras, brita e areia.

A Casa do Construtor parou de vender material de construção em 2005, para só viver de locação de máquinas e equipamentos. A primeira franquia foi aberta em 1998, em Americana (127 km a noroeste de São Paulo).

Hoje, a rede tem 251 lojas, sendo 13 próprias e 238 franqueadas (uma delas foi inaugurada em Assunção, no Paraguai, no dia 14 de abril). É a primeira no exterior.

Em 2017, a empresa faturou R$ 200 milhões e tem previsão de crescer 20% neste ano. O lucro não foi revelado.

Confira os dados da franquia, fornecidos pela empresa:

  • Investimento inicial: a partir de R$ 555 mil (inclui taxa de franquia, capital de giro e 1.368 equipamentos de 50 tipos diferentes, sendo que 1.200 do grupo de escoras e andaimes)
  • Taxa de royalties: 8% sobre o faturamento
  • Faturamento médio mensal: R$ 90 mil
  • Lucro médio mensal: 30% sobre o faturamento
  • Prazo de retorno: até 36 meses

Empresa deve ficar atenta à crise econômica, diz consultor

Marcio Moreno, 48, consultor do Sebrae na Baixada Santista, diz que a rede Casa do Construtor atua num segmento (de locação de equipamentos e máquinas para obras) ainda sem muita concorrência, apesar de estar no mercado há mais de 20 anos.

“É uma empresa consolidada no mercado”, diz. Outros pontos que Moreno destaca são o processo seletivo do franqueado e a forma de cobrança da taxa de royalties.

“A empresa não vende franquia a torto e a direito. Antes, ela analisa o perfil do interessado, para verificar se ele se encaixa, de fato, ao perfil da empresa. Os franqueados são geralmente pessoas que têm experiência no mercado, habilidade comercial, relacionamento com a comunidade e perfil empreendedor”, relata.

Sobre os royalties, Moreno diz que é positivo o fato de a base de cálculo ser feita sobre o faturamento bruto. “A empresa mostra ao franqueado que, com isso, tem segurança quanto ao faturamento e está interessada no bom desempenho de suas franquias”, afirma.

O consultor diz, no entanto, que a empresa pode ficar à mercê da instabilidade econômica, por atuar no segmento da construção civil e pequenas reformas. “Num momento de crise, a pessoa corta ou adia esse tipo de gasto”, declara.

Onde encontrar:

Casa do Construtor – www.casadoconstrutor.com.br

Conheça apartamento de 10 m², que custará R$ 99 mil

UOL Notícias

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Empreendedorismo