IPCA
0.13 Mai.2019
Topo

País perde 86.543 vagas com carteira em agosto, mais da metade na indústria

Folhapress
Imagem: Folhapress

Do UOL, em São Paulo

2015-09-25T15:08:11

2015-09-25T15:50:58

25/09/2015 15h08Atualizada em 25/09/2015 15h50

O Brasil cortou 86.543 vagas de trabalho com carteira assinada em agosto, segundo dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgados pelo Ministério do Trabalho nesta sexta-feira (25). É o quinto mês seguido com fechamento de vagas.

Mais da metade das vagas fechadas foi na indústria de transformação. 

O resultado foi pior que o previsto pela agência de notícias Reuters. Pesquisa da agência mostrou que a mediana das expectativas de analistas era de fechamento de 69 mil empregos. 

Com o saldo negativo de agosto, o número de vagas de emprego com carteira assinada caiu 0,21%, na comparação com julho.

Considerando informações passadas fora do prazo pelos empregadores (a chamada série ajustada), o Brasil perdeu 572.792 empregos com carteira assinada de janeiro a agosto deste ano.

Em 12 meses até agosto, foram 985.669 vagas a menos.

Em julho, o país havia fechado 157.905 vagas de trabalho com carteira assinada.

Das vagas fechadas, 55% foram na indústria

Dos oito setores da economia registrados pelo Caged, apenas serviços (+4.965) e administração pública (+730) abriram vagas. O setor que mais fechou foi o da indústria de transformação, com perda de 47.944 empregos, cerca de 55% do total.

Dentro do setor industrial, o único ramo que abriu vagas foi o de alimentos e bebidas. Os que mais fecharam vagas foram o têxtil, o mecânico e o metalúrgico. 

Veja os resultados de todos os setores:

  • Indústria da transformação: -47.944 vagas
  • Construção civil: -25.069 vagas
  • Comércio: -12.954 vagas
  • Agropecuária: -4.448
  • Serviços industriais de utilidade pública: -935 vagas
  • Extrativa mineral: -888 vagas
  • Administração pública: +730

Nordeste criou vagas

Apenas a região Nordeste registrou abertura de vagas com carteira assinada (893).

O Sudeste fechou 54.190 vagas; o Sul, 27.856 vagas; o Centro-Oeste, 3.023; e o Norte, 2.367. 

Desemprego subiu a 7,6% em agosto

Na quinta-feira, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou que o desemprego subiu para 7,6% em agosto, de acordo com a PME Pesquisa Mensal de Emprego). Foi a maior taxa para o mês desde 2009, quando tinha sido de 8,1%. 

Considerando todos os meses, foi a maior taxa em mais de cinco anos. Em março de 2010, o desemprego tinha sido de 7,6% e, em maio daquele ano, de 7,5%. Desde junho de 2010, a taxa não chegava ao nível de 7%.

(Reuters)

Mais Economia