ipca
0,45 Out.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Quer ser dublador de séries? Não precisa de voz bonita e ganha R$ 126/hora

Claudia Varella

Colaboração para o UOL, em São Paulo

18/07/2018 04h00

Com tantas séries de TV nos canais pagos e na Netflix, você já sonhou em ser dublador profissional, mas desistiu porque acha que não tem uma voz bonita? Saiba que, para exercer a profissão de dublador, não é preciso ter um "vozeirão". É apenas necessário que apresente uma excelente dicção (pronúncia clara). Também é obrigatório ter formação e registro de ator.

“Não adianta nada a pessoa ter voz incrível, mas não saber interpretar o personagem. É sua qualidade de ator de dublagem que fará de você um excelente dublador. Mas é preciso ter uma excelente dicção. A fala deve ser perfeitamente entendida”, afirmou Mabel Cezar, 42, uma das sócias da Sociedade Brasileira de Dublagem, uma escola que atua em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Leia também:

Assim como ator de teatro, de cinema e de TV, o profissional que dubla é um ator de dublagem. Ele é autônomo e presta serviços para os estúdios de dublagem. São cerca de 30 estúdios em São Paulo e outros 20 no Rio de Janeiro, e mais de 500 profissionais atuando no mercado.

Segundo Mabel, após fazer cursos de dublagem, o profissional precisa realizar uma “peregrinação” aos estúdios, para entrar no mercado. “O dublador deve começa a contatar os estúdios para ser ouvido, conhecer a casa e os diretores, até que passe a fazer parte da gama de elenco daquele estúdio. Mas ele pode dublar para vários clientes no mês”, disse.

Hora de dublagem paga R$ 125,83

O ator de dublagem não tem salário fixo. Ele ganha por hora de dublagem, e não por hora corrida. Em São Paulo, a hora de dublagem custa R$ 125,83, de acordo com a convenção coletiva de trabalho dos dubladores.

“Muita gente desiste de ser dublador por causa do salário, pois ele depende das horas de dublagem trabalhadas no mês. Por isso, o dublador nunca sabe, de fato, quanto vai ganhar no final do mês”, disse Mabel, que não quis estimar quanto um dublador consegue ganhar por mês.

Escola ensina técnicas e macetes$escape.getH()uolbr_geraModulos('embed-foto','/2018/mabel-cezar-ao-centro-de-oculos-e-rayani-immediato-a-dir-de-blusa-listrada-com-alunos-do-curso-de-dublagem-1531862158232.vm')

A escola oferece o curso de dublagem (com dois módulos: iniciante e intermediário), com técnicas de dublagem, sincronismo, dicas de interpretação para dublagem e de versatilidade para dublar filmes, séries e animações.

Os cursos são voltados para atores que querem se iniciar ou se aperfeiçoar na dublagem, mas também é aberto a qualquer pessoa que queira aprender sobre as técnicas da dublagem. No entanto, para exercer a profissão de dublador, é necessário ser ator profissional. A escola de dublagem não forma atores.

De acordo com o Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos e Diversões do Estado de São Paulo (Sated-SP), conforme a lei 6.533/1978, para obter o registro profissional de ator/atriz, a pessoa precisa cursar uma faculdade ou escola técnica de artes cênicas. Se não tiver formação profissional, ela deve comprovar, junto ao sindicato de seu estado, que já tem atuação e cursos livres na área. Neste caso, o sindicato emite um atestado de capacitação, para que o artista possa dar entrada ao pedido do registro profissional no Ministério do Trabalho.

Dramaturgia e desenhos

No módulo iniciante, Mabel disse ensinar o básico da dublagem, mas também o método que ela mesma desenvolveu,  suas próprias técnicas. No intermediário, o aluno precisa ser ator profissional e já ter passado por outro curso de dublagem.

“A ideia é aperfeiçoar o trabalho de ator e dublador daquele aluno, com o método próprio de interpretação e aperfeiçoamento do olhar do dublador”, afirmou Mabel.

Entre as técnicas ensinadas no curso, estão interpretação em dramaturgia, desenhos, amenização de sotaque e regionalismo, respiração, domínio da voz, dicção, entre outros. Em geral, a dinâmica das aulas consiste na dublagem, análise e discussão das dublagens feitas pelos próprios alunos em sala, com o objetivo de aperfeiçoar as técnicas de cada um.

Cada módulo tem duração de oito horas, e as turmas presenciais são para, no máximo, dez alunos.

A empresa, no entanto, não divulga os valores dos cursos. Para receber todas as informações sobre os cursos, é preciso fazer a inscrição.

Atriz e dubladora desde 1996, Mabel faz as vozes das atrizes Anne Hathaway, Catherine Zeta-Jones e Emma Thompson, entre outras, e da princesa Leia, de Star Wars (nos filmes "Star Wars: Os Últimos Jedi", "Rogue One: Uma História Star Wars" e "Star Wars - O Despertar da Força"), e das personagens Minnie (da Turma do Mickey) e Jessie (de Toy Story 2 e 3).

A Sociedade Brasileira de Dublagem foi fundada em setembro de 2016 e teve faturamento de R$ 1,1 milhão no ano passado. O lucro não foi revelado. O investimento inicial na empresa foi de R$ 7.000.

Curso de tradutor de dublagem

Outros dois cursos oferecidos pela escola são tradutor para dublagem (que é dividido em cinco módulos) e práticas de dublagem, além de bônus exclusivos, com material extracurricular.

O requisito é conhecer bem a língua portuguesa e ter um segundo idioma fluente; não é obrigatório ser formado em tradutor e intérprete ou letras, por exemplo.

Dividido em cinco módulos, o tradutor para dublagem é um curso a distância. Ou seja, o aluno compra o curso e faz as aulas remotamente, de onde estiver, dentro de uma plataforma online. Há exercícios para o aluno baixar e um suporte online para tirar suas dúvidas, além de duas aulas ao vivo, apostilas em PDF, vídeos e material em Word para tradução.

"O tradutor de dublagem é uma profissão não regulamentada que qualquer um pode exercer. Mas se a pessoa tem qualquer conhecimento, isso só agrega. Por exemplo, se você é um advogado e tem um segundo idioma, terá mais facilidade em traduzir Law and Order (série policial americana), ou se tem formação em gastronomia, terá mais facilidade em programas que tratem do assunto”, declarou Rayani Immediato, 26, atriz, dubladora e também sócia da empresa.

Onde encontrar:

Sociedade Brasileira de Dublagem – www.sbdublagem.com.br

Márcio Seixas fala sobre dublar Batman

Mais Economia