Bolsas

Câmbio

Com economia de R$ 200 por mês você pode torcer pelo hexa na Copa do Qatar

Téo Takar

Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação

Já que o sonho do hexa foi adiado, que tal ir para o Qatar assistir à Copa do Mundo de 2022? Embora seja uma viagem cara, especialistas afirmam que é possível realizar o sonho sem grandes sacrifícios. O segredo está em um bom planejamento financeiro. "O grande desafio é a escolha da aplicação e a disciplina para guardar aquele dinheiro todo o mês", afirma Thiago Alvarez, presidente do GuiaBolso.

Se economizar R$ 200 mensais desde já é possível ver o Brasil jogar a primeira fase e as oitavas de final. Se a ideia é assistir às sete partidas da seleção até a final da Copa e, quem sabe, testemunhar a conquista do hexa, reserve pelo menos R$ 800 por mês.

Veja abaixo algumas estimativas de despesas que o torcedor terá na viagem e, principalmente, como juntar e investir o dinheiro para alcançar o objetivo. Quanto antes você começar, melhor.

Leia também:

Valores são estimados

É importante frisar que os valores são estimados, uma vez que ainda não há passagens, nem reservas de hotéis disponíveis para 2022 nos sistemas das companhias aéreas e agências de viagem. Além disso, os ingressos dos jogos só começarão a ser vendidos um ano antes da Copa.

Para facilitar os cálculos, foi utilizada uma taxa de câmbio de R$ 4 por dólar. Foram usados os preços mais baixos informados para uma viagem ao Qatar em 2019, mas a tendência é que os valores subam bastante a partir do fim de 2021.

Por outro lado, os números foram calculados por pessoa. Portanto, para quem for viajar acompanhado ou em grupo, é possível reduzir algumas despesas se elas forem compartilhadas, como hospedagem e alimentação.

Passagem aérea a partir de R$ 5.000

A passagem aérea tem um peso importante no orçamento do torcedor que deseja assistir a Copa de 2022. Percorrer os 12 mil quilômetros que separam os aeroportos de São Paulo e Doha, capital do Qatar, deve custar a partir de R$ 5.000, ida e volta, em classe econômica, em um voo com conexão.

A Qatar Airways é a única empresa que tem voo direto entre as duas cidades, com 16 horas de duração. Em uma pesquisa feita para voar daqui a um ano, a passagem mais barata encontrada foi de R$ 6.000. Há diversas outras companhias europeias e do Oriente Médio que oferecem passagens entre Brasil e Qatar, mas com conexão. O lado ruim é que a duração total do voo pode passar de 24 horas.

Voos diretos tendem a ser mais caros. Pode valer mais a pena, financeiramente, optar por um voo com conexão. Além disso, as passagens deverão subir muito com a proximidade da Copa. O ideal é comprar com bastante antecedência.
Martin Iglesias, especialista em investimentos do Itaú Unibanco 

Também vale ficar de olho em eventuais promoções feitas pelas companhias aéreas.

Despesa com ingressos pode chegar a R$ 15 mil

Se o seu desejo é realmente não perder um lance da Copa, desde a festa de abertura até a partida final, prepare o bolso. A despesa apenas com ingressos para os melhores assentos dos estádios (Categoria 1) pode chegar a R$ 15 mil. A conta considera o jogo de abertura, três jogos da fase de grupos, um jogo de oitavas de final, um de quartas, uma semifinal e a partida da final.

Divulgação

A conta ficou pesada demais? Então, escolha três jogos da primeira fase e um das oitavas de final. Os ingressos em lugares mais afastados (Categoria 3) para esses quatro jogos custarão cerca de R$ 2.000.

Os valores foram estimados com base nos preços cobrados pela Fifa (Federação Internacional de Futebol) na Copa da Rússia.

É importante que o torcedor fique atento à abertura do período de venda de ingressos pela Fifa, que acontece cerca de um ano antes da Copa, para evitar pagar mais caro depois.
Thiago Alvarez, presidente do GuiaBolso

Hospedagem varia de R$ 70 a R$ 500 por dia

Outro passo importante na empreitada rumo ao Qatar é decidir qual será o estilo de sua viagem: econômica, confortável ou de luxo.

Se você não se importa em adotar o estilo "mochileiro" e dormir em albergues ou quartos compartilhados, conseguirá fazer uma bela economia com hospedagem. Uma acomodação nessas condições custa em torno de R$ 70 por dia, contra R$ 250 de um quarto em um hotel três estrelas e cerca de R$ 500 por dia em um cinco estrelas. A tendência, porém, é que esses valores estejam bem mais altos na Copa. 

O Qatar já é um país com custo de vida elevado. Imagine na Copa. Vai ser complicado. Mas quem se programar bem durante os próximos quatro anos conseguirá viajar.
Francis Wagner, fundador e presidente do aplicativo de investimentos APP Renda Fixa

A mesma lógica vale para a alimentação. Uma refeição no McDonalds sai por volta de R$ 30 em Doha, enquanto um jantar modesto para duas pessoas custa algo como R$ 150.

Vai beber? Cuidado com o bolso. Um refrigerante ou uma garrafa de água são baratos no Qatar: custam R$ 2 cada. Uma cerveja não sai por menos de R$ 45. A explicação para o preço salgado está na cultura islâmica, que condena o consumo de bebidas alcoólicas. Aliás, os fãs da gelada terão dificuldades em Doha. O consumo de bebidas alcoólicas deverá ser proibido nos estádios e em outros locais públicos durante a Copa.

Copa do Qatar será entre novembro e dezembro

A data dos jogos no Qatar será uma novidade. Em vez dos meses tradicionais, de junho e julho, a Copa de 2022 será realizada entre novembro e dezembro, quando o clima no Qatar é mais ameno.

Portanto, o torcedor que se planejar agora terá um pouco mais de tempo para poupar: 52 meses. "Esse é um ponto positivo para quem quer assistir à próxima Copa", diz Alvarez.

Getty Images/iStockphoto

Como ir à Copa poupando R$ 200 por mês

Se você não tem muita grana sobrando, mas quer ao menos sentir o gostinho de ver uma Copa do Mundo no exterior e, de quebra, conhecer uma cultura completamente diferente da brasileira, a sua meta será acumular no mínimo R$ 12 mil nos próximos quatro anos para ir ao Qatar.

"Dá para chegar nesse montante guardando R$ 200 por mês e aplicando em investimentos conservadores, como um fundo DI. Mas o torcedor precisa investir fora dos grandes bancos, em uma corretora ou plataforma de investimento onde a taxa de administração do fundo seja baixa --de, no máximo, 0,4% ao ano", diz Thiago Alvarez, do GuiaBolso.

A estimativa feita pelo GuiaBolso considera uma viagem com duração de 19 dias, com passagem em voo com conexão mais barato, hotel simples, alimentação baseada em lanches e ingressos para três partidas (duas da fase de grupos e uma de oitavas) nos setores mais baratos dos estádios. A aplicação terá que render, no mínimo, 0,45% ao mês, já descontados inflação e impostos.

Quer viajar com conforto ou ver a Copa inteira?

Se você não abre mão de conforto, deverá reservar no mínimo R$ 35 mil para ir ao Qatar em 2022. A estimativa do GuiaBolso considera a viagem em voo direto e permanência de 19 dias em hotel cinco estrelas, com ingressos para o jogo de abertura e quatro partidas do Brasil (três da fase de grupos e uma de oitavas) nos melhores setores dos estádios.

Já o Itaú Unibanco estimou que, com os mesmos R$ 35 mil, o torcedor poderá ficar no Qatar durante toda a Copa (28 dias), assistir ao jogo de abertura e às sete partidas da seleção brasileira, caso o time chegue até a final. Para isso, precisa optar por voos e hotéis econômicos e também pelos ingressos mais baratos (categoria 3) disponíveis nos estádios.

Os ingressos têm um peso relevante na despesa da viagem. Na categoria mais barata, assistir à abertura e às possíveis sete partidas do Brasil até a final vai custar R$ 6.500. Se a opção for pelos melhores ingressos [categoria 1], a despesa salta para R$ 15 mil.
Martin Iglesias, do Itaú Unibanco

Portanto, se você for um torcedor "doente" e quiser ver bem de perto os tombos de Neymar e ouvir os berros de Tite, a conta da viagem subirá facilmente para os R$ 43 mil por pessoa, apenas por causa do preço dos ingressos no setor mais próximo ao campo.

Getty Images

R$ 800 por mês para 'viagem dos sonhos'

O torcedor que pretende assistir à Copa de 2022 inteira, optando por hospedagem e ingressos mais baratos, deverá guardar cerca de R$ 650 por mês para conseguir acumular os R$ 35 mil necessários para a viagem.

Para quem fizer questão de ver todos os jogos no melhor lugar do estádio, o Itaú calcula que seja preciso guardar pelo menos R$ 800 por mês para pagar os R$ 43 mil da viagem dos sonhos.

As duas estimativas consideram que o dinheiro será aplicado mensalmente em um investimento que apresente um rendimento real (descontados inflação e impostos) de 3% ao ano nos próximos 52 meses.

"Você tem títulos no Tesouro Direto que estão pagando IPCA mais 5,5% ao ano. O rendimento líquido desse papel fica em torno dos 4%", afirma Iglesias. Ele afirma que, como não há um título disponível que coincida com a data da viagem, em 2022, o investidor deve optar pelo vencimento mais próximo --por exemplo, o Tesouro IPCA para 2024.

"É claro que há um risco aí, que é o da marcação a mercado [risco de perda no caso de saque antes do vencimento do título]", diz Iglesias. "Mas mesmo que haja imprevistos até 2022, se o torcedor criar uma reserva agora, a chance de ele concretizar o sonho aumenta bastante."

Se você não tem muito tempo para administrar o dinheiro, mas quer obter um retorno melhor do que as aplicações tradicionais de renda fixa, a sugestão de Thiago Alvarez, do GuiaBolso, são os fundos multimercados. "O investidor não deve se assustar com eventuais rendimentos negativos de um mês para o outro. O foco da aplicação deve ser no longo prazo."

Quem já tem uma parte da grana necessária para a viagem pode investi-la em um CDB prefixado, sugere Francis Wagner, do APP Renda Fixa. "Há papéis disponíveis no mercado com aplicação inicial de R$ 10 mil e que estão pagando 12,7% ao ano para resgate daqui a três anos", afirma. Uma aplicação de R$ 25 mil nesse CDB, por exemplo, resultará em um resgate de pouco mais de R$ 35 mil após três anos.

Já tem o dinheiro? Então, compre dólar

O torcedor que desejar ir à Copa de 2022 terá que se preocupar também com as variações cambiais. As passagens aéreas e os ingressos respondem por mais da metade da despesa total da viagem e são cotados em dólar. Já hospedagem e alimentação são cotados em rial, a moeda do Qatar. Hoje, um rial equivale a R$ 1,06.

Segundo Martin Iglesias, do Itaú, o torcedor que já possui todo o valor necessário para a viagem deve converter o montante para dólares, seja comprando diretamente a moeda ou aplicando em um fundo cambial. 

São dois riscos cambiais, do dólar e do rial. Nós não fazemos ideia de como o rial vai se comportar até 2022. A opção hoje seria comprar dólar para tentar minimizar um dos riscos. Pode até ser que você pague caro pelo dólar hoje, mas reduzirá o risco cambial da viagem.
Martin Iglesias, do Itaú Unibanco

Agora, quem ainda vai precisar poupar para realizar o sonho de ir ao Qatar e não quer correr o risco de uma disparada do dólar, Iglesias sugere que o investidor faça compras mensais da moeda.

"Se na conta que fizemos em reais você precisaria juntar R$ 800 por mês para ir à Copa, então transforme isso pelo dólar de hoje. Seriam cerca de US$ 200. Portanto, você deve comprar o equivalente a US$ 200 todo mês, mesmo se o dólar subir", diz Iglesias.

Ajuste o plano às necessidades e imprevistos

Ao longo de quatro anos, muita coisa pode acontecer na economia brasileira, dos Estados Unidos e do Qatar, interferindo nos valores das despesas para a Copa de 2022. Seus planos pessoais também podem sofrer imprevistos. Ainda assim, com bom planejamento e perseverança, a meta de ir ao Qatar pode ser alcançada, dizem os especialistas.

"Algo que parece impossível hoje, como ir a uma Copa, porque é muito caro, pode se tornar possível se você se planejar. Não será necessário fazer grandes sacrifícios se tudo for pensado com antecedência", diz Alvarez.

"Uma viagem bem planejada não está isenta de riscos. Ajuste os planos, reduza o número de dias da viagem, opte por ingressos mais baratos ou por um hotel mais simples. O único item que é caro e não dá para mexer muito é a passagem aérea", afirma Iglesias.

Porco, arroz e macarrão no café da manhã: a Rússia que a TV não mostra

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos