PUBLICIDADE
IPCA
+0,93 Mar.2021
Topo

Banco subiu limite do cartão e você ficou feliz? Veja lá o que vai fazer

Hygino Vasconcellos

Colaboração para o UOL, em Chapecó (SC)

10/03/2021 04h00

Clientes de bancos digitais como Nubank e C6 relataram nas redes sociais que as empresas subiram o limite do seu cartão de crédito. Com a mudança, é preciso redobrar a atenção aos gastos com o cartão, para não se descontrolar. Ainda mais porque algumas operadoras de cartão de crédito cobram juros altos a cada vez que se ultrapassa o limite.

Veja dicas de especialistas ouvidos pelo UOL para o cliente usar bem o cartão, mesmo quando o limite aumenta.

Quando é bom ter um limite alto?

Limite alto é interessante para comprar bens e serviços e parcelar, sem comprometer tanto o orçamento mensal, disse o economista e especialista em finanças pessoais Everton Lopes, de Porto Alegre (RS). Por exemplo, para comprar uma televisão de R$ 3.000 e pagar em dez vezes.

Também é útil para uma viagem cara, que só vai ocorrer daqui a um tempo. A compra antecipada das passagens, mesmo que parcelada em várias vezes, pode garantir preços mais em conta. Até mesmo passeios, ingressos para teatro e bilhetes de trem podem ficar mais baratos caso comprados previamente. E embarcar com tudo já pago é um alívio para o viajante.

E quando é ruim?

"O limite, em si, não faz tanta diferença, o importante é o consumo consciente. O grande problema é que as pessoas abusam", afirmou Lopes.

Outro especialista, Emerson Lemes, de Londrina (PR) disse que é preciso pensar que o dinheiro disponível no cartão não é seu, mas do banco. Por isso, é preciso cautela no uso.

Se o consumidor está endividado, usar um limite elevado no cartão pode fazer a dívida aumentar, virando uma bola de neve. Caso não pague a fatura do cartão integralmente, o usuário sofre com os juros do rotativo, os mais altos do mercado. O ideal, nesse caso, é não ter o cartão, orienta Lopes.

Quanto devo gastar no cartão?

Depende da sua renda e de quanto você gasta com contas que não são pagas no cartão de crédito, como aluguel, condomínio e conta de luz.

Se uma pessoa tem uma renda de R$ 5.000 e as despesas que não estão no cartão ficam em R$ 3.500, ela não pode usar mais de R$ 1.500 mensais no cartão, disse Lopes. No caso, portanto, o gasto com cartão não deve ultrapassar 30% da renda, mesmo se o limite for superior a isso.

Defina você mesmo o limite

Estabelecer um valor máximo para as compras é importante para fazer o consumidor pensar duas vezes antes de passar o cartão.

"Antes de sair de casa, já sei que não posso gastar mais de R$ 1.500, no total. Porque, no momento em que a conta atingir R$ 1.700, algo não vai ser pago e vai entrar, por exemplo, no cheque especial", disse.

Muitas operadoras de cartão de crédito oferecem limites que são o dobro ou o triplo do salário do cliente, e não é difícil cair na tentação de gastar mais do que pode.

Quando o cliente quer estourar o limite do cartão de crédito, algumas operadoras recusam a compra, mas outras autorizam o pagamento, cobrando altas taxas adicionais.

Evite usar o cartão para compras rotineiras

Usar o cartão de crédito para toda e qualquer compra não é uma boa estratégia, de acordo com Lemes. O ideal é evitar usá-lo para fazer compras recorrentes, como supermercado.

O risco, segundo Lemes, é comprometer todo o limite com compras rotineiras. "Jogar a conta para o cartão significa só postergar o pagamento" disse.

UOL Economia+ fará evento para quem quer investir

Entre 23 e 25 de março, o UOL Economia+ e a casa de análises Levante Ideias de Investimento realizarão evento online gratuito.

O economista Felipe Bevilacqua, analista certificado e gestor especialista da Levante, comandará três grandes aulas para explicar ao leitor do UOL como assumir as rédeas do próprio dinheiro. O evento é gratuito para todos os leitores UOL.

Garanta o seu lugar no evento aqui:

Ao clicar em “Enviar”, você concorda com a Política de Privacidade do Grupo UOL e aceita receber e-mails de produtos e serviços do Grupo UOL e demais empresas integrantes de seu grupo econômico. O Grupo UOL utiliza as informações fornecidas para entrar em contato ofertando produtos e serviços. Você pode deixar de receber essas comunicações quando quiser.