Bolsas

Câmbio

Nota de dólar tem relação com Illuminati e maçonaria? Veja as superstições

Ricardo Marchesan

Do UOL, em São Paulo

  • Getty Images

Um dos ícones da economia americana, a nota de US$ 1 é repleta de desenhos e símbolos com referências à história norte-americana. Algumas pessoas acreditam haver ali várias referências escondidas à maçonaria ou à sociedade secreta Illuminati.

A ligação de figuras históricas dos EUA com a maçonaria, entre elas, George Washington, primeiro presidente do país e também o rosto que ilustra a face da nota de US$ 1, alimenta diversas teorias. Washington apareceu pela primeira vez na nota em 1869.

A maioria dos desenhos na cédula faz parte do Grande Selo dos Estados Unidos, um dos símbolos do Estado e que ilustra a parte de trás da nota. Do lado direito, aparece a face do selo (com o desenho da águia) e, do lado esquerdo, a parte de trás (com o desenho da pirâmide). A origem do selo é bem mais antiga do que as notas, e muitos veem ali referências à maçonaria.

Aficionados por teorias da conspiração vão mais longe, e acreditam que haja na nota referências aos Illuminati --suposta sociedade secreta que teria o objetivo de criar uma "nova ordem mundial". Os Illuminati aparecem no livro "Anjos e Demônios", de Dan Brown, que também é autor de "O Código da Vinci". As duas histórias (fictícias, é bom dizer) viraram filmes estrelados por Tom Hanks.

Veja o significado de alguns dos símbolos na nota. As informações são de Bruno Pellizzari, da Sociedade Numismática Brasileira, que reúne estudiosos e colecionadores de moedas, e do Departamento de Estado dos EUA.

Getty Images/iStockphoto
Getty Images/iStockphoto

Águia

A águia, símbolo americano, segura um ramo de oliveira em uma pata e 13 flechas na outra (leia mais sobre o 13 abaixo), simbolizando o poder da paz e da guerra, respectivamente. Alguns historiadores afirmam que a quantidade de penas nas asas e cauda da águia também são referências a números de graus da maçonaria.
Getty Images/iStockphoto
Getty Images/iStockphoto

Pirâmide

A pirâmide representa força e longevidade. Ela, porém, é inacabada. O topo está separado do resto, para representar que o Estado está em constante construção. O Olho da Providência, também chamado de Olho que Tudo Vê, representa Deus, e sua intervenção em favor dos EUA. Também é um dos símbolos da maçonaria. O número em algarismo romano na base é a data da declaração de independência do país, 1776.
Getty Images/iStockphoto
Getty Images/iStockphoto

13 por todos os lados

O Grande Selo dos EUA é cheio de referências ao número 13. Logo, a nota de um dólar também. São 13 andares na pirâmide, 13 flechas e 13 folhas no ramo segurados pela águia, 13 faixas verticais no escudo e 13 estrelas em cima dela. Não, a nota não foi desenhada por Zagallo, ex-técnico da seleção brasileira e fã incondicional do número. A explicação é histórica: são referências às 13 colônias originais que formaram os EUA.
AFP
AFP

Latim

Três frases em latim aparecem na nota de um dólar. E Pluribus Unum (De muitos, um): está escrita na faixa no bico da águia e é referência à união das colônias que formaram os EUA. Annuit Coeptis (Ele [Deus] favoreceu nossos empreendimentos): sobre as intervenções divinas em favor da causa norte-americana. Novus Ordo Seclorum (Uma nova ordem dos séculos): referência ao início da nova era americana, após a independência.
Getty Images
Getty Images

In God We Trust

Em 1955, uma lei determinou que todo o dinheiro americano deveria trazer a frase "In God We Trust" (em Deus confiamos), mas ela apareceu pela primeira vez em uma cédula em 1957.
Getty Images/iStockphoto
Getty Images/iStockphoto

Selo do Federal Reserve

Cada nota traz na frente um selo do Federal Reserve, o banco central americano. No selo, há letras de A a L, que indicam um dos 12 locais que emitiu a cédula. Nova Yok, por exemplo, é B. San Francisco, L, e Chicago, G. Na foto, o H indica que a nota é de St. Louis.
Fonte: Departamento do Tesouro dos EUA

Igual desde 1963

A configuração da nota é a mesma desde 1963 --é a mais antiga entre as cédulas em circulação atualmente nos EUA. O governo afirma que não a modificou nesse período, nem pretende fazer isso no futuro, porque a nota é pouco falsificada, além de existir uma lei que impede mudanças.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos