PUBLICIDADE
IPCA
-0,68 Jul.2022
Topo

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Novos lockdowns e calote de construtora esfriam economia chinesa

Noel Celis/AFP
Imagem: Noel Celis/AFP

Rafael Bevilacqua

04/07/2022 08h52

Esta é a versão online da edição de hoje da newsletter Por Dentro da Bolsa, que fala da importância do mercado chinês para o Brasil e dos sinais de desaceleração da economia da China. Para assinar este e outros boletins e recebê-los diretamente no seu email, cadastre-se aqui. Os assinantes UOL ainda têm direito a mais duas newsletters exclusivas sobre investimentos.

A China é a principal importadora de uma série de produtos brasileiros, e é uma nação com papel central nos mercados globais de commodities, como o minério de ferro, o petróleo e alimentos.

Nota-se a importância da China nesses mercados quando olhamos para o período conhecido como "boom" de commodities, compreendido entre os anos 2000 e 2014.

Nesse período, a demanda chinesa por produtos primários explodiu, beneficiando as economias de países subdesenvolvidos, como o Brasil, que exportou toneladas e mais toneladas de insumos para alimentar as cadeias produtivas do gigante asiático.

Atualmente, contudo, a China tem dado sinais cada vez mais claros de desaceleração do seu crescimento econômico, principalmente a partir de 2021, quando eclodiu a crise do setor imobiliário chinês.

As vendas de imóveis residenciais seguem em queda, e o aumento do custo do endividamento tem impedido muitas empresas de buscar refinanciamento para suas dívidas no exterior.

Nesse cenário, muitas construtoras e incorporadoras chinesas correm risco de falência, e algumas delas têm deixado de honrar seus compromissos financeiros.

Na madrugada desta segunda-feira (4), os mercados globais receberam a notícia de que a incorporadora chinesa Shimao não efetuou o pagamento de um título de dívida no valor de US$ 1 bilhão.

Além disso, o governo chinês ordenou novos lockdowns na província de Anhui, diante de um novo surto de covid-19. Após 287 novos casos da doença terem sido registrados nesta segunda-feira, Pequim ordenou o confinamento de cerca de 1,7 milhão de pessoas nos condados de Sixian e Lingbi.

A política de covid zero instaurada no país tem contribuído para a desaceleração da economia e o esfriamento da demanda por uma série de produtos e insumos.

A China segue sendo uma economia robusta e diversificada, mas é inegável que a atual situação do setor de construção civil e a dificuldade de liquidar o coronavírus são duros golpes desferidos contra as metas de crescimento estabelecidas pelo governo chinês.

Leia no 'Investigando o Mercado' (exclusivo para assinantes UOL, que possuem acesso integral ao conteúdo de UOL Investimentos): informações sobre o primeiro leilão de transmissão de energia de 2022.

Um abraço,

Rafael Bevilacqua
Estrategista-chefe e sócio-fundador da Levante

**********

NA NEWSLETTER UOL INVESTIMENTOS

A newsletter UOL Investimentos mostra que, depois de brilhar em 2020 e 2021, o mercado de BDRs, que permitem investir indiretamente em empresas estrangeiras, acumula queda de 26% no semestre, até 28 de junho, desempenho abaixo do Ibovespa e de outros índices de ações brasileiras. Para se cadastrar e receber a newsletter semanal, clique aqui.

Queremos ouvir você

Tem alguma dúvida ou sugestão sobre investimentos? Mande sua pergunta para duvidasparceiro@uol.com.br.

Este material foi elaborado exclusivamente pela Levante Ideias e pelo estrategista-chefe e sócio-fundador Rafael Bevilacqua (sem qualquer participação do Grupo UOL) e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta de valor mobiliário ou promessa de retorno financeiro e/ou isenção de risco . Os valores mobiliários discutidos neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão realizar o processo de suitability para a identificação dos produtos adequados ao seu perfil de risco. Os investidores que desejem adquirir ou negociar os valores mobiliários cobertos por este material devem obter informações pertinentes para formar a sua própria decisão de investimento. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Os desempenhos anteriores não são indicativos de resultados futuros.