PUBLICIDADE
IPCA
0,73 Dez.2021
Topo

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Reserva de emergência: 3 erros que você deve evitar ao juntar dinheiro

Conteúdo exclusivo para assinantes

Luciane de Almeida

03/12/2021 04h00

Antes de falar sobre os que evitar ao começar a construir uma reserva para emergências, entenda por que é importante você ter essa reserva.

Imprevistos não avisam quando vão chegar, não é mesmo? E como diz o ditado: "é melhor prevenir do que remediar".

Geralmente em situações de emergência, ficamos abalados emocionalmente, e quase sempre temos que tomar decisões sob pressão. A melhor maneira de se prevenir é ter uma reserva financeira para passar por momentos esses momentos de necessidade com mais tranquilidade. Esse planejamento vai te salvar de pagar altos juros em empréstimos e até mesmo de entrar em dívidas.

E quanto você precisa ter na reserva de emergência?

O recomendado é ter no mínimo três vezes o valor das suas despesas fixas, e o ideal é ter seis vezes esse valor. Isso vai deixar você mais protegido nos momentos de aperto.

Veja os três erros mais comuns:

1. Esperar sobrar dinheiro para começar a guardar.

Formar uma reserva financeira situações inesperadas deve ser prioridade.

Esperar sobrar dinheiro para depois guardar é o pior erro de quem está começando a construir a reserva de emergência.

Estabeleça um valor da renda mensal para guardar e, no dia que receber o dinheiro, já separe para essa reserva.

2. Pensar só na rentabilidade.

É claro que, ao pensar em guardar dinheiro, logo pensamos em rentabilidade, mas, o foco dessa reserva não é ganhar alta rentabilidade, o objetivo é poder usar o dinheiro rapidamente e sem perdas no momento do resgate.

Usar investimentos com liquidez e baixo risco, é obrigatório quando se fala de reserva de emergência. As opções recomendadas são os investimentos conservadores, com rendimento diário e possíveis de resgatar a qualquer momento. Exemplo são CDB DI e Tesouro Selic.

3. Usar com gasto previsível.

Se você sabe que vai ter que pagar não é inesperado.

É muito comum querer usar o dinheiro dessa reserva para objetivos como troca de carro, viagem, compra de material escolar, pagamento de IPVA. Lembre-se que para esses objetivos você deve planejar o seu orçamento ao longo do ano.

Evite esses erros para não comprometer a saúde da sua vida financeira, e garantir que você terá dinheiro disponível ao surgir um problema inesperado.

Este material foi elaborado exclusivamente pelo PagBank e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta de valor mobiliário ou promessa de retorno financeiro e/ou isenção de risco . Os valores mobiliários discutidos neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão realizar o processo de suitability para a identificação dos produtos adequados ao seu perfil de risco. Os investidores que desejem adquirir ou negociar os valores mobiliários cobertos por este material devem obter informações pertinentes para formar a sua própria decisão de investimento. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Os desempenhos anteriores não são indicativos de resultados futuros.

PUBLICIDADE

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL