PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

7 lições de um trader profissional que começou a investir quando era camelô

Exclusivo para assinantes UOL

Camila Mendonça

Do UOL, em São Paulo

03/06/2021 04h00

João Homem é conhecido na internet por criar uma das maiores comunidades de traders do país, o Special Squad Traders, com mais de 90 mil pessoas cadastradas. E também é conhecido por dizer, na lata, que a vida de um trader é bem diferente do que muita gente pensa.

Um trader opera na Bolsa comprando e vendendo ativos em um curto período de tempo, pode ser no mesmo minuto ou em poucos dias.

Mineiro, da capital de Minas Gerais, João Homem começou a investir em 2006, quando ainda trabalhava como camelô, com o único objetivo de mudar a sua própria realidade, segundo ele conta. "A gente só muda nossa realidade investindo."

Para chegar nesse entendimento, porém, levou um tempo. "Eu realmente pensava que Bolsa não era para qualquer um, que você tinha que ter muito dinheiro para entrar, mas a própria Bolsa realizou muitos eventos na época, e comecei a investir", conta.

João Homem é um dos convidados para o Guia do Investidor UOL, série de eventos quinzenais e gratuitos do UOL Economia+ para quem quer começar a investir. A série funciona como uma trilha de conhecimento, que passa por temas como comportamento, investimentos básicos para iniciantes até investimentos mais arrojados, como ações, fundos multimercado e até criptomoedas.

O primeiro evento do Guia do Investidor UOL já tem data marcada para acontecer: dia 8 de junho, às 11h, nas páginas do UOL, UOL Economia e UOL Economia+, e vai debater os comportamentos que fazem as pessoas perderem dinheiro. João Homem vai compartilhar, nesse debate, seus erros e acertos da vida de trader.

A vida real de um trader

Assim como a maioria dos investidores iniciantes, João entrou na Bolsa comprando ações de empresas das quais gostava, sem intenção de se desfazer delas tão cedo. Assim como a maioria também, começou a ser impactado por muito marketing sobre trade e, em 2014, resolveu "entrar nessa".

"Não caí nessa para ficar rico, mas para alavancar o meu capital, para encurtar o caminho para a minha independência financeira", afirma. A realidade da vida de trader, contudo, logo apareceu para Homem, e da pior forma: de 2014 até o início de 2016, ele perdeu em torno de R$ 90.000. "Só fui ficar com saldo positivo em meados de 2017", diz.

"Eu comecei a acabar com tudo o que eu tinha. Realmente achava que dava para ganhar dinheiro como todo mundo, perdi muita grana mesmo", afirma.

Depois de tantas perdas, resolveu estudar mais e arriscar com o menor valor possível, até que encontrou um "método" —todo trader, explica ele, tem um processo, um método individual para investir. "Quando descobri o meu, comecei a aportar um pouco mais, bem lentamente, sem essa pressa que o pessoal tem por aí".

A história parece daquelas de filme, em que o mocinho se dá mal no início, para depois viver o seu "final feliz". João Homem alerta, porém, que na vida real de um trader, as perdas, assim como os ganhos, nunca param.

"As pessoas têm mania de encurtar essa história. Teve um longo caminho de muita dor e muita coisa envolvida para chegar até aqui".

Para compartilhar a sua história, João listou algumas lições que servem para todo tipo de investidor, não só quem quer se aventurar na vida de trader. Confira.

Lição 1 - Endividados não têm espaço

Muitos investidores querem arriscar operações rápidas na Bolsa acreditando que vai ter maiores rendimentos para resolver "a vida" —isso inclui pagar dívidas.

"Minha motivação quando comecei era mudar a minha realidade. Mas não venha para o mercado com dificuldades financeiras", recomenda o profissional. Ele mesmo conta que ficou dois anos sem operar na Bolsa, porque havia perdido muito dinheiro e precisava se recuperar financeiramente.

Lição 2 - Você precisa ter um plano

Por algum tempo, João Homem acreditava que existia um perfil "ideal" para quem quer ser trader, mas com o tempo percebeu que é muito mais uma ação do que um perfil que importa.

"A maior característica de todas é a disciplina, seguir um plano. Você tem que seguir um plano", afirma. Isso vale para quem quer começar a investir ou para quem quer se arriscar na vida de trader.

Para o primeiro caso, ter um plano é entender suas metas, o que quer com o dinheiro, por quanto tempo quer ter determinado ativo, quanto vai investir todo mês. Para traders, explica Homem, além do método, esse plano precisa incluir limites de aportes diários, para evitar maiores perdas.

Lição 3 - Diversifique

Traders profissionais dificilmente têm todo o seu dinheiro alocado nas operações diárias. João Homem recomenda que, a cada ganho, o trader reserve uma parte para ativos de menor risco, para preservar o capital.

O mesmo vale para quem está começando a investir: não colocar todo o dinheiro em um único ativo é a melhor forma de diminuir os riscos da Bolsa.

Lição 4 - Entenda o tripé retorno, risco e probabilidade

"A probabilidade é medida por uma técnica, o seu método, tanto para curto prazo como para longo prazo. O pessoal entra muito focado na técnica, mas esquece do risco e do retorno", afirma Homem. "Se você não olhar para o tripé, vai dar muito errado".

Lição 5 - Não espere uma grande tacada

"As pessoas têm uma visão de que no trade você vai fazer uma grande tacada, mas a realidade não é assim. O que conta na vida do trader são os dias normais, o dia que você ganha o que normalmente ganha, e o dia que você perde o que normalmente perde. Grandes ganhos só servem para cobrir grandes perdas", afirma o profissional, que não revela seus ganhos.

Lição 6 -Não acredite em tudo o que te falam

Principalmente agora, com as redes sociais, existem muitos "especialistas" em investimentos. Mas nem todos são sérios, ou sequer têm certificação para falar sobre investimentos.

No caso do trade, há quem faça operações ao vivo, e muita gente acaba seguindo aquilo que vê e que falam. "Quem acabou de chegar [no trade] vai acreditar naquilo. Eu mesmo já acreditei em muita gente, mas praticamente nenhum prestou. Eu parei de tentar aplicar o que o pessoal me ensinava e comecei a olhar para o mercado. Encontrei o meu método na tentativa e no erro", afirma.

Lição 7 - Não tem vida fácil

Essa é a maior lição de todas, segundo João Homem. A figura mítica que opera na Bolsa por cinco minutos de bermuda na praia não representa a vida real do trader.

Em seu escritório, João Homem opera com seis telas abertas em plataformas de notícias em tempo real, plataforma operacional e outras ferramentas das quais precisa para as operações que levam até menos que 1 minuto —sem contar nas duas redes de internet, para garantir que tudo funcione.

"Não tem vida fácil. Mesmo se eu começar minhas operações às 10h e terminar 10h15, para eu operar esses 15 minutos, eu começo meu dia bem antes, estudando, analisando o mercado de fora, para tentar enxergar oportunidades", afirma.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.