PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Veja as 3 ações mais recomendadas por analistas para junho

Exclusivo para assinantes UOL Economia+

Márcio Anaya

Colaboração para o UOL, em São Paulo

02/06/2021 04h00

O levantamento com as ações mais recomendadas para junho consolida um domínio absoluto da Vale (VALE3) no primeiro semestre deste ano. A mineradora, mais uma vez, está no topo das indicações de investimento dos analistas —presente em sete das oito carteiras analisadas neste mês. Outras duas empresas também integram a lista de destaques, segundo monitoramento feito pelo UOL Economia+.

Confira abaixo quais são as empresas mais recomendadas para junho segundo levantamento do UOL Economia+. Conheça o UOL Economia+, serviço completo de orientação financeira do UOL para assinantes.

As ações mais recomendadas para junho

  • Vale (VALE3): 7 recomendações
  • Petrobras PN (PETR4): 5 recomendações
  • Gerdau PN (GGBR4): 4 recomendações

*Levantamento feito com base nas carteiras recomendadas pelas seguintes instituições: Ágora Investimentos, BB Investimentos, BTG Pactual, Guide Investimentos, Mirae Asset Corretora, MyCap Investimentos, Santander Corretora e Terra Investimentos.

PIB e situação fiscal melhoram horizonte do país

O principal índice da B3 (Ibovespa) terminou no azul pelo terceiro mês consecutivo, marcando uma alta de 6,16% em maio e atingindo valorização do mesmo patamar (6%) no acumulado do ano, segundo a plataforma de informações financeiras Economatica.

Em relatório, o BTG Pactual avalia que as perspectivas econômicas melhoraram significativamente nos últimos meses, por conta de dois fatores: recuperação da atividade mais rápida do que o projetado, e uma situação fiscal do país melhor do que a esperada.

Nesse cenário, a instituição elevou de 3,5% para 4,3% sua previsão de crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) para 2021 e acredita que a dívida em relação ao PIB possa terminar o ano abaixo de 85%, ante previsão acima de 90% há alguns meses.

"Além disso, o real finalmente dá sinais de estabilidade [frente ao dólar], ajudado por um ambiente político com menos ruídos e pela alta da Selic [taxa básica de juros]", diz o banco.

Na Mirae Asset Corretora, a visão também é positiva quanto à retomada da atividade econômica. "Acreditamos que os setores de commodities e de infraestrutura continuarão sendo beneficiados pelo forte crescimento esperado na China e nos EUA ao longo dos próximos meses."

Apesar do horizonte mais favorável, o BTG pondera que ainda existe um longo caminho a ser percorrido em relação à situação de saúde do país. Segundo a instituição, o risco de uma terceira onda de covid-19 precisa ser monitorado de perto pelos investidores, pois pode afetar a economia de maneira geral.

Vale se mantém no alto do pódio

Repetindo a marca do mês passado, a Vale figura em sete das oito carteiras de ações recomendadas para junho, segundo monitoramento feito pelo UOL Economia+. Com mais esta liderança, a mineradora completa seis meses consecutivos como a mais indicada por especialistas.

Na opinião do BTG, a administração da companhia tem proporcionado estabilidade operacional e crescimento, o que faz o banco acreditar que a meta de produção deste ano - entre 315 e 335 milhões de toneladas de minério de ferro - deva ser cumprida.

A cotação internacional do produto tem apresentado forte volatilidade nas últimas semanas, sobretudo os preços futuros na China.

Em sua análise mensal, a Ágora Investimentos avalia que as quedas recentes do minério de ferro são um movimento pontual, que não afetam suas estimativas. A corretora espera um preço-médio de US$ 150 a tonelada no fechamento deste ano, recuando para US$ 110 em 2022 e US$ 70 no longo prazo.

Na última terça-feira (1º), a Vale informou que, após trabalhadores rejeitarem um novo acordo coletivo de cinco anos, decidiu paralisar suas atividades em Sudbury, no Canadá.

No ambiente doméstico, a empresa comunicou que irá prorrogar por três meses, contados a partir de junho, o pagamento emergencial aos atingidos pelo rompimento da Barragem B1, em Brumadinho (MG).

Petrobras volta aos destaques e Gerdau se mantém

Com duas estreias neste mês, as ações preferenciais (PNs) da Petrobras voltaram a figurar entre as mais recomendadas por analistas, com um total de cinco apontamentos.

Os papéis da estatal estão entre as novidades escolhidas pela Ágora e pela BB Investimentos para o período. Além disso, os ativos foram mantidos entre as indicações da Mirae, MyCap e Terra Investimentos.

Para a corretora do Banco do Brasil (BB), as boas perspectivas de aumento na produção, redução de custos e forte geração de caixa colocam a Petrobras em destaque como potencial de alta. "Adicionalmente, os preços de petróleo seguem com perspectivas de se manter em alta ao longo de 2021."

Na Ágora, a volta da companhia ao rol de indicações está fundamentada nas sinalizações dadas recentemente pela gestão. De acordo com a corretora, o comando da Petrobras transmitiu uma mensagem positiva ao comentar o balanço do primeiro trimestre, especialmente com relação à manutenção da política de dividendos e esforços para venda de ativos.

"Apesar da mensagem de continuidade, as mudanças nos preços dos combustíveis devem ser menos frequentes no futuro e segue como tema chave a ser monitorado pelos investidores", pondera a instituição.

No caso da Gerdau, as ações PN receberam novamente quatro recomendações das corretoras. A siderúrgica integra a lista de novos papéis selecionados pela Guide para este mês e se manteve nas carteiras do BTG Pactual, Mirae e Terra.

"Sustentamos nossa recomendação no papel, mesmo após forte desempenho, pois avaliamos que existe espaço para melhora em função do cenário de baixa oferta de minério de ferro e crescente expansão da demanda", afirma a Guide.

Carteiras recomendadas têm 24 mudanças

No total, as instituições acompanhadas pelo UOL Economia+ realizaram 24 mudanças nas carteiras de ações recomendadas para junho, frente ao mês passado. A pesquisa engloba oito casas de análise.

A corretora que mais alterou seu portfólio foi a BB Investimentos, com sete substituições. A MyCap vem logo a seguir, com cinco trocas de papéis.

A Guide Investimentos escolheu quatro novas companhias, enquanto o BTG Pactual e a Mirae Asset Corretora revisaram três ações cada uma.

Ágora e Terra Investimentos realizaram apenas uma mudança em suas carteiras selecionadas, ao passo que a Santander Corretora optou, pelo segundo mês consecutivo, manter sua lista de indicações.

Alterações e portfólios completos indicados

Ágora Investimentos

BB Investimentos

BTG Pactual

Guide Investimentos

Mirae Asset Corretora

MyCap Investimentos

Santander Corretora

Obs: não houve alterações em relação à semana passada.

Terra Investimentos

O preço e o desempenho das ações podem ser conferidos na página de cotações do UOL Economia.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.