PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

Empresas na Bolsa vão revelar seus lucros; será que economia melhorou?

Exclusivo para assinantes UOL

Mitchel Diniz

Colaboração para o UOL, em São Paulo

21/07/2021 04h00

O período de divulgação de resultados das empresas listadas em Bolsa começou nesta semana. A expectativa é grande porque pode trazer finalmente números positivos das companhias listadas na Bolsa em mais de um ano de pandemia.

Os balanços devem refletir as flexibilizações mais recentes da economia e trazer cifras mais robustas, mas que se apoiam em uma base fraca de comparação — os números baixos do ano passado. Será que os resultados do segundo trimestre que serão divulgados nos próximos dias podem representar uma recuperação da economia? Analistas ouvidos pelo UOL dizem que sim, mas fazem ressalvas. Veja abaixo.

Retomada vai se refletir nos números

Para Roberto Attuch, CEO da OHM Research, os setores ligados à reabertura da economia devem apresentar os melhores resultados, apesar de o segundo trimestre ter começado logo após um pico de casos de covid-19 e internações.

"O resultado reflete uma economia em que, apesar de a covid-19 não ter sido vencida, as pessoas anteciparam a reabertura", diz Attuch.

Bruno Komura, estrategista de renda variável da Ouro Preto Investimentos, destaca o comércio de lojas físicas, que deve apresentar bons resultados, mesmo com as restrições em alguns meses do segundo trimestre.

Melhora pontual ou jornada de recuperação?

Para Komura, os resultados não devem ser vistos como uma melhora pontual, mas como parte de uma jornada de recuperação das empresas e da economia como um todo.

"Não é só uma questão de demanda reprimida, que vai estourar o consumo agora e depois vai passar. Pelo contrário, a tendência é que distorções sejam corrigidas", afirma.

Régis Chinchila, analista da Terra Investimentos, acredita que a temporada de balanços vai mostrar a recuperação de atividades em setores como comércio, bancos e empresas aéreas. O segundo trimestre reflete justamente a diminuição das restrições nas principais cidades do país.

Inflação, juros e variante da covid-19 seguem no radar

"Assim como as revisões positivas do PIB, os resultados da melhor atividade devem vir refletidos nos números. Mas alguns setores vão mostrar, em suas teleconferências, preocupações com a inflação e os juros em alta", afirma Chinchila.

Para João Guilherme Silva, analista da Aware Investments, a perspectiva de resultados positivos pode destoar da situação real da economia.

"O cenário não é tão tranquilizador. Os resultados podem mascarar o fato de que esse 'looping' viral ainda não acabou", diz Silva.

Para ele, a reabertura gradual do comércio nos últimos meses deve ter impacto positivo nos números de empresas ligadas ao consumo de bens e serviços. Mas ainda há risco dos bons resultados serem apenas pontuais, enquanto a pandemia persistir.

"Essa sensação de luz no fim do túnel merece atenção redobrada, com a disseminação de uma cepa ainda mais contagiosa", afirma o analista.

Cenário político adiciona incerteza

Silva também prevê bons resultados para empresas exportadoras, que tendem a faturar mais com a alta cotação do dólar. Desde o começo do ano, a moeda norte-americana tem sido negociada acima de R$ 5, com exceção da última semana de junho, quando ficou abaixo desse patamar, mas não por muito tempo.

"Apesar do otimismo modesto, o ceticismo predomina. Além das novas cepas, a turbulência constante na política atrasa projetos econômicos para o reaquecimento do motor produtivo", diz o analista da Aware Investments.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.