PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Investimentos

Ações da Hering deixam a Bolsa; veja o que acontece com seus investimentos

Conteúdo exclusivo para assinantes

Vinícius de Melo

Colaboração para o UOL, em São Paulo

24/09/2021 04h00

Desde o início da semana, as ações da Cia. Hering (HGTX3) deixaram de ser negociadas na Bolsa de Valores brasileira. Esse processo aconteceu depois que o Grupo Soma (SOMA3), responsável pelas marcas Animale, Farm, Maria Filó, dentre outras, comprou a empresa, em abril.

Quem possuía ações ordinárias da Cia. Hering até o fim do pregão do dia 17 de setembro recebeu em sua carteira de ativos 1,62 ações ordinárias do Grupo Soma (SOMA3), além de R$ 9,54 por ação da Hering. Para entender melhor esse processo, o UOL conversou com três analistas que explicaram o que acontece com quem tem investimentos na empresa, e o que fazer para investir nela agora. Leia abaixo o que eles disseram.

Quem tem ações da Hering não precisa se preocupar

Para adquirir a Hering, o Grupo Soma investiu R$ 5,1 bilhões, sendo que 30% desse pagamento foi feito em dinheiro e 70% em ações.

"É o caso mais comum dentro da B3, quando uma companhia é incorporada ou adquirida por outra. Quem tinha ações da HGTX3 não precisa se preocupar, as ações serão automaticamente convertidas em SOMA3. Se você já era acionista da Hering, vai continuar sendo através de um outro código", diz Gian Montebro, da iHub Investimentos.

O valor de R$ 9,54 por ação foi definido em assembleia e será pago em até 10 dias úteis, a partir do último dia 20 de setembro, explica Lucas Mastromonico, operador de renda variável da B.Side Investimentos.

Ou seja, para cada ação da Hering, o investidor vai receber 1,62 ações do Grupo Soma mais R$ 9,64 em conta.

Com a aquisição, o Grupo Soma se torna uma das cinco maiores empresas de varejo do Brasil. A companhia fica atrás apenas da Renner (R$ 6,6 bilhões), Guararapes, empresa da Riachuelo (R$ 4,3 bilhões) e C&A (R$ 4 bilhões) em receita líquida, somando um total de R$ 2,3 bilhões em 2020. Além disso, a companhia passa a ter 1.042 lojas físicas em todo o país, somando todas as marcas do seu guarda-chuva.

"A gente deve ver o impacto da Hering dentro do Grupo Soma nos próximos balanços. São dois ou três semestres para a gente ver o impacto dessa incorporação, porque é um portfólio diferente, com um novo perfil de cliente", diz William Teixeira, chefe de renda variável da Messem Investimentos.

Histórico das ações da Hering

As ações da Cia. Hering estão movimentando o setor do varejo desde o início de abril, quando a empresa anunciou que recusou a proposta feita pela Arezzo (ARZZ3) para a combinação da operação entre as duas companhias. Pouco tempo depois, o Grupo Soma anunciou a aquisição da varejista.

"Ninguém briga por algo que não é bom, principalmente no mercado financeiro", diz Gian Montebro. As negociações, que duraram pouco menos de uma semana, fizeram as ações da HGTX3 dispararem.

Até o dia 14 de abril, elas eram negociadas por R$ 17,01 na Bolsa. Na última sexta-feira, 17 de setembro, a ação bateu R$ 37,50.

Quero investir na Hering agora, como faço?

Quem não era acionista da HGTX3 e quer passar a ter ações da empresa, basta comprar ações da SOMA3.

Contudo, os analistas fazem uma ressalva.

"Comprando agora ações do Grupo Soma, o investidor está comprando ações de outras marcas além da Hering, como Animale e Farm, que são as mais conhecidas. Então, além de ser sócio da Hering, vai ser sócio de outras 11 empresas", diz Teixeira.

Para Mastromonico, essa diversificação é positiva.

"Uma empresa que está fazendo várias aquisições mitiga o risco do investidor. Uma marca pode estar meio 'mal das pernas', só que ele tem outras 10 marcas que podem suprir isso, que podem ajudar a ter uma sinergia no negócio. As grandes casas, como a XP Investimentos e o BTG Pactual, recomendam a compra, justamente por causa da sinergia do negócio", diz o especialista.

Os cuidados ao investir no Grupo Soma são os mesmos para qualquer empresa

Montebro alerta que para investir em ações é preciso ter um mínimo de conhecimento do setor em que a empresa atua. Isso vale para investimentos no Grupo Soma e para qualquer outra empresa.

"[Saber] se o momento do mercado é favorável ou não para esse setor, além de procurar saber o básico de uma análise técnica e fundamentalista. Nem todo investidor faz essa lição de casa", afirma.

Uma dica é olhar a área de Relações com Investidores (RI) da companhia. Esta foi uma obrigatoriedade implementada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para todas as empresas de capital aberto do Brasil, para facilitar a comunicação entre elas e o mercado financeiro.

Lá, há documentos que podem nortear melhor a decisão dos investidores sobre aquisição ou venda de ações.

"A gente acredita que o consumo das famílias deve crescer a partir do primeiro semestre do ano que vem. Se isso acontecer, vai ser um bom momento para se posicionar [no setor de comércio]. Pensando no longo prazo, pode ser [um investimento] interessante, mas eu esperaria um pouco para ver o impacto disso no balanço do Grupo Soma", afirma Teixeira.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.

PUBLICIDADE

Investimentos