IPCA
0,42 Fev.2024
Topo

Quanto juntar para se aposentar com R$ 6.000/mês em CDB e fundo imobiliário

Colaboração para o UOL, em São Paulo

20/09/2021 04h00

Quem não quer chegar à aposentadoria e ter uma renda de R$ 6.000 por mês? É possível? Qual investimento fazer para conseguir esse valor? No Papo com Especialista, programa semanal e ao vivo do UOL, o economista César Esperandio fez simulações com CDBs e com fundos imobiliários.

Veja abaixo quanto você teria de investir em cada um desses investimentos para garantir uma renda mensal de R$ 6.000 na aposentadoria e assista abaixo ao trecho do programa. O Papo com Especialista é um tira-dúvidas sobre investimentos exclusivo para assinantes e é transmitido toda quinta-feira, às 15h.

Fundos imobiliários x CDB

No programa, Esperandio fez uma simulação com fundos de investimentos imobiliários (FII), considerando uma modalidade mais conservadora, com rendimento de 0,6% ao mês. Para conseguir uma renda mensal de R$ 6.000 por mês, você teria que investir R$ 1 milhão em fundos imobiliários com essa rentabilidade.

Uma opção ainda mais conservadora, mas com um rendimento melhor —um CDB que paga 1% ao mês — é preciso investir R$ 600 mil para ter uma renda mensal de R$ 6.000, segundo o economista, que também é do canal Econoweek.

No mercado, os CDBs que pagam mais que 1% ao mês, em média, são os atrelados à inflação. Há opções que pagam a inflação mais juros de quase 6% ao ano. Considerando a inflação próxima dos 10% nos últimos 12 meses, esses títulos estão pagando quase 1,2% ao mês, em média.

Neste caso, quanto maior a rentabilidade, maior é o prazo de vencimento. Há CDBs que pagam inflação mais 5,97% ao ano (Nova Futura), mas para resgate em seis anos. Há ainda quem pague a inflação mais 5,61% ao ano (Necton), mas com resgate em cinco anos.

Também há CDBs prefixados, que pagam quase 1% ao mês, em média. É o caso do CDB da Órama, que promete ao investidor 12,75% ao ano de rentabilidade, para resgate em quase quatro anos. Há também um CDB que rende 12,64% ao ano (Ativa Investimentos), para resgate em cinco anos.

É preciso considerar a inflação e risco

O economista disse que é preciso colocar a inflação nesse cálculo.

"Como a inflação vai corroendo o seu poder de compra, esses R$ 6.000 hoje não comprariam as mesmas coisas que os R$ 6.000 de amanhã", disse.

Para isso, é preciso juntar mais dinheiro conforme a inflação de cada ano até sua aposentadoria.

Além disso, o investidor precisa olhar para a classificação de risco dos CDBs. Essa classificação diz quais são as chances de o banco que está emitindo aquele CDB dar calote no investidor. Quem faz essa classificação são agências de risco e ela não é obrigatória.

Vale ressaltar que as condições de investimentos citadas para essa simulação são referentes ao dia 9 de setembro. As taxas podem variar de um dia para o outro.

Papo com Especialista é toda quinta-feira

O programa Papo com Especialista é transmitido às quintas-feiras, das 15h às 16h, na página inicial do UOL, no UOL Economia e na página de Investimentos, e é exclusivo para assinantes. Reveja programas anteriores aqui.

Você pode enviar perguntas ao Papo pelo e-mail uoleconomiafinancas@uol.com.br —elas podem ser respondidas no programa.

Quer investir melhor? Receba dicas em seu email

Você quer aprender a ganhar dinheiro com segurança em investimentos no curto, médio e longo prazo, mesmo que nunca tenha investido?

A página de investimentos do UOL tem uma newsletter gratuita que o ajuda nesse objetivo. Ao assinar, você recebe todos os dias, antes da abertura da Bolsa, uma análise do mercado feita pelo analista Felipe Bevilacqua, da casa Levante Ideias de Investimentos. Com essa newsletter, você vai aprender a investir e entender o que está acontecendo com o mercado.

Além da newsletter diária, você também recebe, semanalmente, uma análise sobre investimentos, com dicas sobre como aplicar melhor e com segurança seu dinheiro. Para assinar a newsletter gratuita de investimentos do UOL, é só clicar aqui.

Tem dúvidas sobre ações, fundos e outros investimentos da Bolsa? Envia sua pergunta para duvidasparceiro@uol.com.br.

Este material não é um relatório de análise, recomendação de investimento ou oferta de valor mobiliário. Este conteúdo é de responsabilidade do corpo jornalístico do UOL Economia, que possui liberdade editorial. Quaisquer opiniões de especialistas credenciados eventualmente utilizadas como amparo à matéria refletem exclusivamente as opiniões pessoais desses especialistas e foram elaboradas de forma independente do Universo Online S.A.. Este material tem objetivo informativo e não tem a finalidade de assegurar a existência de garantia de resultados futuros ou a isenção de riscos. Os produtos de investimentos mencionados podem não ser adequados para todos os perfis de investidores, sendo importante o preenchimento do questionário de suitability para identificação de produtos adequados ao seu perfil, bem como a consulta de especialistas de confiança antes de qualquer investimento. Rentabilidade passada não representa garantia de rentabilidade futura e não está isenta de tributação. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, a depender de condições de mercado, podendo resultar em perdas. O Universo Online S.A. se exime de toda e qualquer responsabilidade por eventuais prejuízos que venham a decorrer da utilização deste material.