PUBLICIDADE
IPCA
1,16 Set.2021
Topo

Investimentos

Bluefit adia estreia na Bolsa e dá mais espaço a Smart Fit; qual é melhor?

Bluefit desistiu do IPO que ocorreria nesta terça (28). - Reprodução/Site/Bluefit
Bluefit desistiu do IPO que ocorreria nesta terça (28). Imagem: Reprodução/Site/Bluefit
Conteúdo exclusivo para assinantes

Vinicius Silva*

Colaboração para o UOL, em São Paulo

28/09/2021 04h00

A rede de academias Bluefit desistiu de abrir capital na Bolsa de Valores nesta terça-feira (28). A empresa esperava captar em torno de R$ 600 milhões na abertura. Segundo a companhia, a interrupção é por um período de 60 dias úteis, contatos a partir da última sexta (24), e deve-se "as atuais condições de volatilidade no mercado de capitais".

Segundo fontes ouvidas pelo UOL, a empresa não conseguiu atrair investidores suficientes para levantar o valor projetado, e a ideia agora é que a oferta seja apenas para investidores qualificados, que têm acima de R$ 1 milhão investidos, e institucionais. Com a decisão, a empresa abre ainda mais espaço para sua concorrente, a Smart Fit, que levantou R$ 2,3 bilhões na estreia. Entenda abaixo o que aconteceu com a Bluefit e porque a Smart Fit é uma melhor decisão de investimento, segundo especialistas ouvidos pelo UOL.

cotaBluefit não atraiu investidores, dizem analistas

A empresa esperava captar R$ 600 milhões, com as ações custando entre R$ 12,25 e R$ 15,25. A empresa fixaria um preço do papel na última sexta-feira (24), mas isso não ocorreu.

Desse montante, 55,6% seriam usados para expansão orgânica da companhia e outros 44,4% seriam utilizados para recompra de franquias e de participações em sociedades.

Segundo a casa de análises Levante, a empresa não atingiu o valor esperado e, ao que tudo indica, a abertura deverá ser direcionada apenas a investidores institucionais e qualificados. A XP, que coordena o IPO (oferta inicial de ações) da empresa, disse que não pode comentar sobre o assunto.

Em comunicado ao mercado, a Bluefit não comenta nenhuma outra forma de entrar na Bolsa.

Para Danielle Lopes, sócia da casa de análises Nord Research, a desistência faz sentido por motivos estruturais e de mercado.

"A demanda de IPOs como um todo está caindo. A Bolsa está mais volátil com receios políticos e fiscais, e o investidor entende que isso [o momento] pode ser mais arriscado", afirma.

Do ponto de vista da empresa, a especialista diz que já deu tempo de o investidor entender um pouco mais sobre o modelo de negócios da Bluefit —semelhante ao modelo da Smart Fit, de baixo custo.

"Os investidores começarem a estudar mais o modelo de negócios e perceberam certas fragilidades, como barreira de entrada muito baixa. Você consegue replicar facilmente uma academia do padrão Smart Fit e Bluefit, e consegue de certa forma competir", diz.

Além disso, diz a especialista, entre as duas redes de academia, a Smart Fit leva vantagem.

"A Smart Fit tem um crescimento muito maior nos últimos anos pelo simples fato de ela ter vindo antes. A Bluefit não é pioneira e o alcance da Smart Fit é muito maior. Além disso, a Bluefit tem um histórico confuso, com endividamento alto desde 2019", afirma.

Smart Fit ganha da Bluefit?

Ainda que a Bluefit entre na Bolsa de Valores mais para frente, ela pode não ser uma boa escolha, segundo especialistas.

De acordo com Hugo Queiroz, diretor do TC Matrix, empresa de análise de mercado, a Bluefit deve ter um caminho aberto para crescer no país, dado a pequena penetração das academias de baixo custo por aqui, mas o valor que a companhia buscava na Bolsa era alto demais.

"A Bluefit é para quem busca crescimento acelerado. Mas ela estava pedindo um valor que não se justifica pelo fundamento da empresa, quando comparada com a Smart Fit. Então, na nossa análise, é melhor comprar Smart Fit do que a Bluefit", afirma.

"A Smart Fit tem espaço no Brasil e na América Latina, tem boa geração de caixa, margem de lucro", diz.

Para João Arthur Almeida, analista da gestora Garín Investimentos, o momento turbulento do mercado, com crise política e econômica e ruídos externos, faz com que uma companhia que queira abrir capital na Bolsa precise estar com todas as condições favoráveis para valer a pena para o investidor.

"Para um IPO [oferta inicial de ações] nesse momento de mercado, a empresa tem que ser muito boa e estar num preço pelo menos justo, o que é uma combinação rara", diz.

De acordo com o analista, o negócio da Bluefit não parece ter grandes vantagens em relação às concorrentes. "Eu achei que o IPO de Smart Fit veio caro. A Bluefit provavelmente vai buscar o mesmo patamar. Fora que o negócio em si nem me parece ter tantas vantagens competitivas", afirmou.

Empresa pode ser oportunidade no longo prazo, diz casa de análise

Já para a casa de análises Levante Ideias de Investimento, o IPO da Bluefit, quando acontecer, é uma boa oportunidade para o longo prazo dado que a projeção de crescimento deve justificar um possível preço alto.

"O principal fundamento para a recomendação é a confiança na execução do plano de expansão no longo prazo. Por ser um mercado de pouca penetração, esperamos um crescimento acelerado no número de unidades nos próximos anos, que justificarão pagar [o preço]", diz a casa de análises, em nota.

Comprei as ações no período de reserva, e agora?

Segundo a empresa, todos os pedidos de reserva de ações serão cancelados e as corretoras comunicarão os investidores.

Caso o investidor tenha feito algum pagamento, os valores serão devolvidos sem qualquer remuneração, juros ou correção monetária, sem reembolso de custos incorridos e com dedução de quaisquer tributos ou taxas eventualmente incidentes, no prazo máximo de três dias úteis contados a partir da comunicação da corretora.

*Com Camila Mendonça

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.

PUBLICIDADE

Investimentos