Tiffany relaciona queda nas vendas com proximidade à Trump Tower

Nova York, 17 Jan 2017 (AFP) - A eleição de Donald Trump para a presidência dos Estados Unidos impactou as vendas de Natal da loja de joias Tiffany, localizada na Quinta Avenida de Nova York e próxima à Trump Tower, disse nesta terça-feira (17) a joalheria.

A Tiffany informou que em novembro e dezembro suas vendas na Quinta Avenida sofreram uma queda de 14% devido, em parte, às "interrupções de trânsito" no local após as eleições de novembro.

O presidente eleito passou grande parte do período pós-eleitoral na Trump Tower, próxima ao Central Park. O lugar também foi alvo de manifestações organizadas contra o magnata republicano, que na sexta-feira (20) tomará posse na Casa Branca.

De acordo com a Tiffany, suas vendas renderam US$ 483 milhões nesses dois meses, 4% abaixo em relação ao mesmo período de 2015.

A nível global, suas vendas foram de US$ 966 milhões, pouco mais do que os US$ 961 milhões do ano anterior.

A Tiffany compensou as fracas vendas nos Estados Unidos com a alta que conseguiu na Ásia. Sua divisão no Japão registrou um crescimento de 16%, o equivalente a US$ 143 milhões em vendas.

"Os resultados das vendas do período de recesso foram menores do que havíamos previsto, mas continuamos nos beneficiando de uma margem bruta favorável e da administração prudente dos gastos", disse o diretor-executivo da Tiffany, Frederic Cumenal.

As ações da Tiffany caíram 4,2%, indo para US$ 78,49, nas transações anteriores à abertura do mercado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos