ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

México busca acordo comercial com UE para o fim o fevereiro

07/02/2018 18h06

Bruxelas, 7 Fev 2018 (AFP) - As negociações entre México e União Europeia para modernizar o acordo comercial vigente entre ambos poderiam chegar a um acordo político no fim de fevereiro, estimou nesta quarta-feira uma fonte mexicana próxima do diálogo.

A comissária europeia de Comércio, Cecilia Malmstrom, poderia visitar o país até 19 de fevereiro, se as negociações em curso em Bruxelas e as previstas para a semana que vem, no México, conseguirem alinhar as diferenças em capítulos sensíveis.

"Estamos muito perto de alcançar esse cenário", indicou a fonte, lembrando que, em dezembro, quando o ministro mexicano de Economia, Ildefonso Guajardo, viajou à capital belga com uma delegação de alto nível já esteve perto de chegar a um acordo.

Vigente desde o ano 2000, europeus e mexicanos iniciaram em maio de 2016 as negociações para modernizar seu Acordo Global, que eles decidiram acelerar no começo de 2017, após a chegada de Donald Trump à presidência dos Estados Unidos.

Embora o objetivo fosse alcançar um acordo no fim de 2017, vários assuntos impediram, entre eles a intenção europeia de proteger várias indicações geográficas de produtos, como vinhos e queijos, o que levaria produtos mexicanos a mudar de nome.

A UE também quer que o México abra os mercados de contratação pública, não apenas a nível federal, mas também estadual. Na opinião da fonte mexicana, isso precisa antes "de um processo de consultas" com as autoridades regionais.

"Tudo deve estar no acordo político", explicou a fonte, sobre os assuntos ainda pendentes de solução, como o acesso a mercados e o sistema de produção de investimentos que, para Bruxelas, passa pela criação de um sistema reformado para solucionar litígios entre o Estado e investidores.

O México almeja diversificar seu comércio. O país envia 80% de suas exportações aos Estados Unidos, com quem renegocia, ao lado do Canadá, o Tratado de Livre-Comércio da América do Norte (Nafta).

Mais Economia