PUBLICIDADE
IPCA
-0,31 Abr.2020
Topo

Perspectiva sombria antecipada por CEO de petroleiras passa para especuladores que fogem do mercado

Dan Murtaugh

03/08/2015 13h59

(Bloomberg) - As maiores petroleiras do mundo estão pintando um cenário sombrio do futuro e os especuladores estão escutando.

Hedge funds reduziram as apostas altistas para o menor número em cinco anos no momento em que o petróleo encerrou seu pior mês desde a crise financeira. A posição líquida longa no petróleo West Texas Intermediate se contraiu 7 por cento nos sete dias terminados em 28 de julho, mostram dados da Comissão de Negociação de Futuros de Commodities dos EUA (CFTC, na sigla em inglês).

A BP Plc disse que os preços do petróleo estarão mais baixos durante mais tempo e a Royal Dutch Shell Plc disse que está se preparando para uma queda prolongada. A Exxon Mobil Corp. e a Chevron Corp. informaram seus piores lucros em anos. A oferta superará a demanda por um milhão de barris por dia durante 2016, segundo o Bank of America Corp. Os preços devem manter-se abaixo de US$ 40 por barril durante meses a fim de que a produção dos EUA caia o suficiente para corroer o superávit mundial, disse a IHS Inc.

"Os especuladores estão observando os lucros ruins e o tom negativo dos comentários dos executivos do petróleo e interpretando-os como sinais baixistas", disse Phil Flynn, analista sênior de mercados da Price Futures Group Inc. em Chicago, em entrevista por telefone em 31 de julho. "Todos estão fugindo deste mercado em massa".

O WTI baixou US$ 2,38, ou 4,7 por cento, para US$ 47,98 por barril na New York Mercantile Exchange no período coberto pelo relatório da CFTC.

150.000 empregos

A BP, a Shell, a Schlumberger Ltd. e a Halliburton Co. anunciaram a eliminação de milhares de empregos nas últimas semanas no intuito de se prepararem para um período prolongado de preços baixos. Desde o início da depressão do petróleo bruto no terceiro trimestre do ano passado, o setor eliminou 150.000 empregos, segundo a Graves Co., uma assessoria com sede em Houston que acompanha de perto os ajustes.

As reservas de petróleo bruto dos EUA se encontram 95 milhões de barris acima da média de cinco anos, segundo a Administração de Informação de Energia do país. Os estoques em Cushing, Oklahoma, o ponto de entrega dos futuros dos EUA, estão em um valor recorde para o final de julho.

Os perfuradores detiveram sua retirada sem precedente dos campos petrolíferos, aumentando em cinco unidades o número de torres de perfuração ativas, para 664, na semana passada, mostram dados da Baker Hughes Inc. Mesmo com menos de metade de torres nos campos que no ano passado, a produção de petróleo se incrementou porque as companhias têm se focado em campos mais ricos e em métodos de perfuração mais eficientes.

Posições

A posição líquida longa para o dinheiro gerido no WTI perdeu 7.450 contratos e ficou em 98.933 futuros e opções, o menor número desde setembro de 2010. As posições longas subiram 3 por cento e as curtas saltaram 11 por cento, atingindo seu nível mais alto desde março.

A produção da Organização de Países Exportadores de Petróleo subiu 6,5 por cento em julho em relação há um ano. As exportações de petróleo do sul do Iraque cresceram e quebraram um recorde com 3,064 milhões de barris diários em julho, disse Thaer Yassin, porta-voz da empresa estatal South Oil Co., na semana passada.

"Se moramos em um mundo onde a produção dos EUA cresce 9 por cento, a da OPEP sobe 6 por cento e a demanda mundial aumenta 1,4 por cento, é compreensível que haja um desequilíbrio", disse Tim Evans, analista de energia da Citi Futures Perspective.

Título em inglês: 'Oil CEOs' Grim Outlook Rubs Off on Speculators Fleeing Market'

Para entrar em contato com o repórter: Dan Murtaugh, em Houston, dmurtaugh@bloomberg.net

Economia