Twitter busca novo caminho após suposto recuo de interessados

Sarah Frier, Brian Womack e Alex Sherman

(Bloomberg) -- Em dificuldades para conseguir novos usuários, o Twitter precisará confiar mais em sua estratégia de streaming de vídeo ao vivo após informações de que os principais candidatos potenciais perderam interesse em apresentar oferta por terem sofrido pressões de seus investidores.

O Twitter havia sido alvo de interesse do Google (pertencente à Alphabet), da Salesforce e da Walt Disney, que consultaram bancos sobre a aquisição da empresa. Agora é improvável que esses interessados apresentem oferta, segundo pessoas familiarizadas com o assunto.

Na sexta-feira, o Twitter havia planejado uma assembleia de conselheiros com assessores externos para tratar da venda, mas a reunião foi cancelada, disse uma das pessoas.

A busca da empresa por compradores começou após vários trimestres em que as vendas e o crescimento da base de usuários desaceleraram. O Twitter recebeu interesse de um potencial comprador, o que levou o conselho a contratar o Goldman Sachs e o Allen & Co. em setembro para tentar uma venda.

O CEO Jack Dorsey se opôs à transação, mas o cofundador e membro do conselho Ev Williams apoiou o negócio.

O Twitter considerou outras soluções, como desinvestimentos de ativos que não são centrais para o negócio, disseram pessoas familiarizadas com o assunto.

Vídeos ao vivo

Se não aparecer um comprador, o Twitter tentará atrair mais usuários por meio de uma nova estratégia focada em vídeos ao vivo.

A empresa vem fechando parcerias para conteúdo esportivo, político e de entretenimento -- como os jogos de quinta-feira à noite da NFL, a Liga Nacional de Futebol Americano -- para poder transmitir junto com tuítes relacionados ao vídeo. Isso pode proporcionar às pessoas que não têm conta no Twitter uma nova forma de usar o serviço e ao mesmo tempo permitir que a empresa compartilhe receitas dos anúncios em vídeo.

Esse esforço incipiente ainda não ampliou significativamente o número de usuários ou anunciantes da plataforma, famosa por suas mensagens de 140 caracteres. O serviço, o favorito de jornalistas, celebridades e políticos, também tem sido freado pelas crescentes preocupações com assédio e abusos no site.

"A falta de crescimento da base de usuários e do engajamento ressalta que as iniciativas de Jack até o momento não foram muito efetivas", disse Robert Peck, analista da SunTrust Robinson Humphrey. "Se toda essa ideia do 'ao vivo' não funcionar, o que fará com que o Twitter cresça?"

As ações da empresa com sede em São Francisco caíram 35% nos últimos 12 meses e chegaram a US$ 18,25 no fim de agosto -- abaixo do preço de US$ 26 de sua oferta pública inicial, em novembro de 2013 --, mas subiram depois que Williams afirmou que o conselho tinha o dever de analisar as opções, inclusive de venda.

Chi Hea Cho, porta-voz da Salesforce, disse que a empresa não comenta rumores. Representantes do Twitter, do Google e da Disney preferiram não comentar. Todos os interessados, especialmente a Salesforce, viram os preços de suas ações caírem desde que surgiram informações sobre seus planos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos