ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Putin promete igualar salário mínimo a índice de subsistência na Rússia

10/01/2018 13h04

Moscou, 10 jan (EFE).- O presidente da Rússia, Vladimir Putin, prometeu nesta quarta-feira igualar neste ano o salário mínimo interprofissional com o índice mínimo de subsistência, definido como a quantia mínima necessária para um cidadão para cobrir todas as suas necessidades vitais.

O chefe do Kremlin, candidato à reeleição nas eleições presidenciais do próximo dia 18 de março, anunciou a medida em um encontro com os trabalhadores de uma fábrica de vagões na região de Tver.

"A dinâmica positiva da economia russa se mantém: temos um déficit público menor que o previsto e as reservas de moedas crescem. A economia da Rússia está em alta (...) e temos a oportunidade de igualar o salário mínimo com o índice mínimo de subsistência a partir de 1º de maio deste ano", disse Putin.

A medida afetará ao menos quatro milhões de pessoas, entre elas trabalhadores, funcionários públicos e aposentados.

Atualmente, o salário mínimo na Rússia é de 9.489 rublos (R$ 538 na cotação de hoje), enquanto o índice mínimo de subsistência é avaliado pelas autoridades russas em 11.163 rublos (R$ 633).

O governo russo reconheceu há duas semanas que pelo menos 20 milhões de russos, 13% da população (144 milhões), vivem abaixo da linha da pobreza.

Putin, que admitiu que o aumento do número de pobres é "alarmante", destacou que a economia russa já superou a recessão e que "tanto os atores econômicos como os cidadãos sentirão gradualmente os fatores positivos que observamos".

Segundo fontes oficiais, quase 8 milhões de russos podem ser declarados em quebra devido às dívidas ou à falta de pagamentos de créditos.

O maior problema para muitas famílias russas é a perda de poder aquisitivo provocada pela desvalorização do rublo, que perdeu mais da metade do seu valor em relação ao euro e ao dólar desde o final de 2014, e o aumento do custo da cesta básica devido às sanções contra os produtos perecíveis ocidentais.

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Economia