PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Rússia nega ligação com ataque de hackers em agências governamentais dos EUA

Segundo o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov,  "não há necessidade de culpar os russos de forma tão infundada por tudo" -
Segundo o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, "não há necessidade de culpar os russos de forma tão infundada por tudo"

14/12/2020 12h59

A Rússia afirmou hoje não ter nenhuma ligação com o hackeamento de sistemas de computador de várias agências governamentais dos Estados Unidos, incluindo os departamentos do Tesouro e do Comércio, por hackers que supostamente agiram em nome do Kremlin.

"Mais uma vez, posso negar essas declarações, essas acusações", disse o porta-voz da presidência russa, Dmitry Peskov, em sua coletiva de imprensa diária.

Ele argumentou que "não há necessidade de culpar os russos de forma tão infundada por tudo" se os EUA têm sofrido ataques há meses e não podem fazer nada contra eles.

"Não temos nada a ver com isso", disse Peskov, lembrando que o presidente russo, Vladimir Putin, ofereceu aos EUA para negociar e assinar um acordo de cooperação no campo da segurança cibernética e da informação, algo que permitiria aos dois países lutar contra o crime e espionagem cibernética.

"Os Estados Unidos não aceitaram o convite de Putin", acrescentou o porta-voz do Kremlin.

O jornal "The New York Times" relatou que hackers agindo em nome de um governo estrangeiro, provavelmente russo, invadiram os sistemas de informática de várias agências governamentais nos Estados Unidos, incluindo os Departamentos do Tesouro e Comércio.

Segundo o jornal, os hackers, que até tinham acesso ao e-mail, quase certamente agiram em nome de uma agência de inteligência russa, no que foi descrito como um dos maiores e mais sofisticados ataques aos sistemas do governo federal nos últimos cinco anos.

A notícia da invasão veio menos de uma semana depois que a Agência de Segurança Nacional, responsável pela defesa dos sistemas de segurança nacional dos EUA, emitiu um alerta de que "atores patrocinados pelo Estado russo" estavam explorando falhas nos sistemas de informática utilizados pelo governo federal.