PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Rússia alerta que barril do petróleo pode chegar a US$ 500 com embargo da UE

O vice-primeiro-ministro russo Alexander Novak - Evgenia Novozhenina/Reuters
O vice-primeiro-ministro russo Alexander Novak Imagem: Evgenia Novozhenina/Reuters

21/03/2022 15h17Atualizada em 21/03/2022 20h44

O vice-primeiro-ministro da Rússia, Alexandr Novak, alertou hoje que a renúncia ao petróleo do país, que é debatida pela União Europeia, elevaria os preços do barril para cerca de US$ 300 (R$ 1,51 mil), com possibilidade de altas ainda maiores.

A possível represália ocidental contra a invasão da Rússia à Ucrânia, segundo o representante do Kremlin, poderia fazer o barril saltar de valor para até US$ 500 (R$ 2,52 mil).

Novak, em entrevista coletiva, garantiu que é impossível renunciar ao petróleo russo, mas que "essas declarações são feitas porque são importantes para os políticos".

"Em todo o caso, vamos tentar ampliar a distribuição para o recente mercado da região da Ásia e Pacífico", disse o vice-primeiro-ministro, de acordo com a agência de notícias russa "Interfax".

No último dia 9, Estados Unidos e Reino Unido anunciaram o veto das importações de petróleo produzidos pelos russos, como retaliação à invasão da Ucrânia.

Segundo o chefe da diplomacia da União Europeia, Josep Borrell, os ministros das Relações Exteriores dos países que integram o bloco examinariam hoje as sanções contra o setor petrolífero da Rússia.

O Kremlin alertou mais cedo que um embargo europeu às importações do petróleo iria pior gravemente a situação do mercado energético na Europa e "atingirá a todos".