PUBLICIDADE
IPCA
1,16 Set.2021
Topo

Guedes: Indústria precisa ir para a esteira e não engordar vendo Netflix

2.set.2021 - O ministro da Economia, Paulo Guedes, em cerimônia no Palácio do Planalto, em Brasília - Adriano Machado/Reuters
2.set.2021 - O ministro da Economia, Paulo Guedes, em cerimônia no Palácio do Planalto, em Brasília Imagem: Adriano Machado/Reuters

Francisco Carlos de Assis e Lorenna Rodrigues

São Paulo e Brasília

27/09/2021 14h29

Para a indústria, o recado mandado nesta segunda-feira, 27, pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, é o de que o setor precisa trabalhar para voltar a crescer e a contribuir para o desenvolvimento do Brasil. Durante participação no 4º Encontro "O Brasil Quer Mais", promovido pela International Chamber of Commerce (ICC), no painel "Por que ainda não abrimos?", o ministro disse que o setor precisa "sair da frente da Netflix" para "correr na esteira".

"Meu acordo com a indústria brasileira é: vamos sair do Netflix e correr na esteira. A indústria brasileira precisa ir para a esteira ao invés de engordar vendo Netflix", disse o ministro da Economia.

No mesmo evento, Guedes afirmou que o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) vai anunciar neste fim de mês a criação de mais postos de trabalho.

Ele fez essa afirmação, uma quase antecipação de um bom número de novas carteiras assinadas no Brasil, num contexto em que usou o espaço do evento para rebater as críticas que vem recebendo de parte do setor financeiro e de economistas para os quais o governo não tem um plano econômico.

"Temos três milhões de empregos desde o fundo do poço até agora e vamos anunciar neste mês criação de empregos no Caged", antecipou o ministro, ao se referir aos dados de agosto no mercado formal de trabalho e que serão divulgados nos próximos dias.

Em julho, foram criados 316.580 postos de trabalho formal no País e o acumulado no ano passou a somar 1.848.304 vagas, aproxima-se da criação de 2 milhões de novos empregos formais.

PUBLICIDADE