IPCA
0,83 Abr.2024
Topo

Estiagem/RS: Leite pede à União mais prazo para financiamento no Pronaf e Pronamp

O governador disse que o Estado vai anistiar a dívida dos produtores do programa Troca-Troca de Sementes. - Bruno Santos / Folhapress
O governador disse que o Estado vai anistiar a dívida dos produtores do programa Troca-Troca de Sementes. Imagem: Bruno Santos / Folhapress

Isadora Duarte

Em São Paulo

24/02/2023 09h20

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), pediu ao governo federal que prorrogue os financiamentos do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e do Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp) contratados pelos produtores do Estado afetados pela estiagem.

"Não é momento de demandarmos do agricultor que está aflito o pagamento de algo que não terá capacidade de fazer. Pedimos no mínimo a postergação das dívidas e, na medida do possível, que se possa anistiar parte das dívidas para tirar a espada da cabeça de quem não vai conseguir cumprir", disse Leite, nesta quarta-feira (23), em evento de anúncio das medidas governo federal para enfrentamento da estiagem no Rio Grande do Sul, realizado em Hulha Negra (RS).

O governador disse que o Estado vai anistiar a dívida dos produtores do programa Troca-Troca de Sementes.

Leite destacou que o grupo de trabalho entre o governo estadual e o governo federal irá aprofundar a interlocução com a União para desenvolvimento de planos de ação para a execução das medidas de apoio aos produtores.

"Para que a gente possa fazer com que as ações rapidamente cheguem na ponta. Recebemos R$ 430 milhões como um passo inicial, importantíssimo, mas precisamos de mais. São os agricultores que estão dizendo", disse Leite.

"A expectativa é de que possamos avançar em outras pautas como no mínimo a postergação das dívidas dos produtores com Pronaf e Pronamp", defendeu o governador.

No evento, representantes de movimentos de pequenos produtores, produtores camponeses e agricultores assentados pediram mais medidas emergenciais aos ministros presentes, além do pacote anunciado ontem pelo governo.

"Os R$ 430 milhões são insuficientes para atender a demanda da estiagem no Rio Grande do Sul, mas toda e qualquer ajuda é importante. Temos que pensar também no endividamento dos agricultores que buscaram crédito e não vão poder honrar. Continuaremos insistindo nisso", disse o presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul (Fetag-RS), Carlos Joel da Silva.

Ele lembrou que as linhas Pronaf Pecuária e Pronaf Investimento não são contempladas com cobertura do Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro), programa do governo federal que garante o pagamento de financiamentos rurais de custeio agrícola quando a lavoura segurada for afetada por eventos climáticos ou pragas sem controle.