ipca
0,45 Out.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Mãe cria franquia antiácaro por falta de opção para filha com alergia

Divulgação
Sarah Lazaretti (sentada), fundadora da Alergoshop, e a filha Marina, que trabalha na empresa Imagem: Divulgação

Larissa Coldibeli

Do UOL, em São Paulo

10/05/2013 06h00

As alergias de pele e os problemas respiratórios da filha fizeram Sarah Lazaretti, 54, deixar de lado a carreira de enfermeira obstetra e empreender. Há 20 anos, ela fundou a Alergoshop, rede de franquias de lojas especializada em produtos para pessoas alérgicas.

Ela conta que a filha Marina, na época com três anos, tinha dificuldade para dormir por causa de coceiras e crises de asma por causa de ácaros e fungos.

“O médico dela falava de produtos que existiam no exterior e poderiam amenizar os problemas, mas que não eram vendidos no Brasil. Eu tinha de pedir para amigos que iam para fora do país comprar para mim”.

Ela imaginou que, assim como ela, outras pessoas tinham dificuldade em encontrar produtos específicos para alergias e conversou com os médicos da filha e com alergistas e pneumologistas do hospital em que trabalhava até ter certeza de que era uma boa oportunidade de negócio.

Outra que foi motivada pela maternidade a abrir um negócio próprio foi Ana Paula Harley, 42. Ao ter os gêmeos João e Fernando, ela teve a ideia de trazer dos Estados Unidos a rede de escolas FasTracKids. A mãe de primeira viagem, Helena Toledo, 37, também se inspirou, durante a gravidez, a abrir uma loja especializada de artigos para bebê.

O consultor Gustavo Carrer, do Sebrae-SP (Serviço Brasileiro de apoio à Micro e Pequena Empresa do Estado de São Paulo), diz que a maternidade coloca a mulher em contato com produtos e serviços que ela não conhecia antes.

“Isso amplia horizontes e pode ajudar a identificar uma oportunidade de negócio. Além disso, a pausa necessária no trabalho e a experiência intensa de ser mãe faz a mulher rever seus planos de carreira e de vida e pode levar à decisão de empreender”, diz.

Franquia Alergoshop

Investimento inicial*: de R$ 113 mil a R$ 181 mil
Faturamento médio: de R$ 30 mil a R$ 65 mil
Retorno do investimento: de 23 a 36 meses
*Inclui instalação, taxa de franquia e capital de giro

Com investimento inicial de cerca de R$ 14 mil, Lazaretti e a irmã começaram a importar e a vender produtos antialérgicos numa pequena loja em São Paulo.

Após algum tempo, passaram a produzir itens próprios com empresas parceiras, como capas antiácaros para colchões e travesseiros e cosméticos especiais (xampu, condicionador, esmalte, maquiagem etc).

A rede também comercializa produtos de limpeza hipoalérgicos e que eliminam ácaros e fungos, por exemplo, além de umificadores de ambiente, inaladores e produtos para melhorar a respiração.

A divulgação da loja foi feita com a ajuda de médicos e por meio da participação em congressos de alergia. Hoje, a rede possui três lojas próprias em São Paulo e, ano passado, adotou o formato de franquias para expansão.

Já há unidades franqueadas em Campinas (SP), Teixeira de Freitas (BA), Teresina (PI) e em implantação em Vitória (ES) e no bairro de Moema, em São Paulo.

Segundo Lazaretti, a maior parte dos franqueados é de pessoas que se interessam pelo segmento por terem alergia ou algum caso assim na família e, ainda, mulheres de médicos.

O segundo filho da empresária, Caio, 18, também tem os mesmos problemas de saúde que a primeira filha. “Já tive de buscá-lo de madrugada na casa do amigo porque ele não consegue dormir sem capa de colchão e travesseiro.”

Com cuidado constante, Marina, 23, está com as alergias controladas e já ajuda a mãe na gestão do negócio. “Ela faz faculdade de marketing e cuida da área da empresa”, diz, a mãe, orgulhosa.

Gêmeos motivaram vinda de rede de escolas para o Brasil

  • Ana Paula Harley trouxe a FasTracKids para o Brasil por causa dos filhos, João e Fernando

Ana Paula Harley, 42, é mãe dos gêmeos João e Fernando. Quando eles tinham quatro anos, uma prima que morava nos Estados Unidos apresentou para Harley o FasTracKids, método educacional que, segundo a empresária, melhora o aprendizado das crianças de até oito anos por meio de atividades práticas e lúdicas.

Harley diz que na hora quis matricular os filhos, mas viu que não havia escolas da rede no Brasil. Ela entrou em contato com a matriz americana da rede de franquias e as negociações para ela trazer a marca para o país começaram.

“Eu tinha pressa porque meus filhos já estavam com quatro anos. Quanto mais o tempo passasse, menor seria o período de aprendizado deles na escola”, diz.

O FasTracKids não é uma escola de alfabetização, mas um complemento que ajuda a desenvolver o aprendizado, explica Harley.

"Ele foi desenvolvido baseado em estudos da neurociência, que mostram que é durante o desenvolvimento do cérebro, que vai até os oito anos de idade, que se estabelece a forma de aprender e que determinará o raciocínio na fase adulta", afirma.

Franquia FasTracKids

Investimento inicial*: de R$ 20 mil a R$ 140 mil
Faturamento médio: não informado
Retorno do investimento: de 12 a 48 meses
*Inclui instalação, taxa de franquia e capital de giro

Em apenas seis meses, ela, duas irmãs e um cunhado juntaram o capital necessário –ela não revela o valor– e Harley se tornou a representante da franquia no Brasil. Em maio de 2007, foi inaugurada a primeira unidade da rede, no Recife. Atualmente, há unidades também em Belo Horizonte (MG), Curitiba (PR), Ipatinga (MG), Maceió (AL), Natal (RN) e São Luís (MA).

Segundo Harley, os filhos foram suas “cobaias”, pois por meio deles ela acompanhava a eficiência do método e conhecia a opinião dos alunos.  Hoje, eles têm 10 anos.

“Eu brinco que a FasTracKids foi o primeiro emprego deles porque eles fizeram fotos para panfletos e participaram de eventos para divulgação. Eles adoraram estudar lá e sabem que o meu trabalho foi motivado por eles”, declara.

Mais Economia