PUBLICIDADE
IPCA
0,26 Jun.2020
Topo

Personal trainer e suplemento alimentar têm franquia a partir de R$ 4,8 mil

Larissa Coldibeli

Do UOL, em São Paulo

22/08/2013 06h00

A procura por uma vida mais saudável está aumentando as oportunidades de negócio no segmento de franquias, segundo especialistas.

Além das tradicionais academias, surgem empresas com serviços mais especializados, como a Test Trainer, que oferece atendimento com personal trainer, e da Dr. Shape, que vende suplementos alimentares e artigos esportivos.

O investimento inicial para abrir uma franquia da Test Trainer é de R$ 4.800 e o faturamento médio mensal é de R$ 4.000. No caso da Dr. Shape, o capital inicial é de R$ 143 mil e o faturamento médio mensal é de R$ 90 mil.

Na Test Trainer, o capital exigido é baixo porque o próprio franqueado é o prestador de serviço e não há necessidade de ponto comercial. O valor é referente à taxa de franquia. Na Dr. Shape, o investimento abrange os custos de instalação, capital de giro e taxa de franquia. 

O empresário Paulo Fernandes, 45, teve a ideia de criar a Dr. Shape por ser atleta e consumidor de suplementos.

"Sempre pratiquei esportes, sou faixa preta em judô, faço musculação, pedalo, jogo futebol e, por isso, consumo suplementos alimentares. Percebi que outras pessoas também se interessavam pelo produto e vi que poderia ser uma oportunidade de negócio."

A empresa possui uma loja própria desde 2002, mas só em 2012 virou franquia. Segundo o sócio Roberto Kalaes, o modelo foi adotado para agilizar a expansão.

“É um mercado com potencial de crescimento. O preconceito em relação aos suplementos alimentares está sendo superado. Eles deixaram de ser conhecidos como ‘bomba’ e anabolizante e, hoje, são consumidos por qualquer pessoa que busque mais saúde e qualidade de vida”, declara.

Segundo Kalaes, os clientes vão desde esportistas, que querem suplementos para melhorar seu rendimento durante a atividade física, até mulheres e idosos em busca de colágeno para retardar o envelhecimento e de vitaminas para complementar a nutrição.

A rede vende produtos nacionais e importados, mas apenas os regularizados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), segundo Kalaes. As lojas também comercializam roupas e acessórios para a prática de esportes.

Atualmente, a rede tem 15 unidades. A meta é chegar a 500 nos próximos cinco anos.

Para o especialista em franquias José Carlos Fugice, da consultoria Goakira, as perspectivas são boas para o segmento no longo prazo. Entretanto, quem apostar numa loja de suplementos alimentares precisa saber que a concorrência é grande e a margem de lucro é pequena.

“Existe um mercado informal relativamente grande, até mesmo devido às restrições da Anvisa. Há pessoas que trazem produtos do exterior e vendem ilegalmente ou informalmente. Isso obriga o lojista a diminuir sua margem de lucro para ser mais competitivo e conseguir sobreviver no mercado”, declara.

Franquia tenta ajudar personal que não tem jeito para o negócio

A falta de habilidade de alguns personal trainers para o negócio foi um dos motivos que estimularam Givanildo Matias, fundador da Test Trainer, que é professor de educação física, a fazer um curso de gestão empresarial na FGV (Fundação Getúlio Vargas) e investir na criação da franquia.

Ele diz que criou o negócio para padronizar a prestação de serviço.

“Às vezes, o profissional é muito bom para aquela atividade, mas não tem visão comercial para investir no negócio. A franquia pode suprir essa carência se oferecer suporte para prospecção e fidelização de clientes e gestão do negócio. Mas, se o objetivo do franqueado é crescer e prosperar, essa não é uma boa opção”, declara Claudia Bittencourt, consultora especializada em franquias do Grupo Bittencourt.

Segundo Matias, os franqueados têm liberdade para definir o treino de cada aluno. Para isso, eles passam por provas teóricas e práticas antes de adquirir a franquia.

"A vantagem é que eles recebem treinamento sobre marketing, vendas, gestão e atendimento. Além disso, ganham um uniforme e um software para fazer a avaliação dos alunos”, afirma.

Além do pagamento da taxa de franquia para começar a usar marca Test Trainer, o franqueado precisa desembolsar R$ 490 por mês, referente ao pagamento de royalties.

O faturamento médio mensal é de R$ 4.000, com lucro médio de 70%, ou seja, R$ 2.800. Os descontos são referentes aos custos de deslocamento, alimentação e eventual aquisição de acessórios necessários para o treino.

O franqueado é o próprio prestador de serviço e não pode contratar pessoas para trabalharem para ele. Segundo Bittencourt, essa é uma característica comum nas microfranquias.

Para Henrique Sartorelli, coordenador da Acade System, empresa de consultoria para academias e personal trainers, o mercado de personal é pouco profissionalizado e muito informal.

"O personal trainer precisa entender que ele é a própria empresa. Ele tem de saber prospectar clientes, vender programas de longa duração para fazer projeção de lucros e poder investir em si próprio", declara.

Atualmente a rede, criada em 2010, tem 25 franqueados. O preço de uma hora de aula varia de R$ 60 a R$ 100, dependendo do plano. 

Rede de relacionamentos é a melhor maneira de atrair alunos, diz especialista

Para Leonardo Allevato, professor de educação física e consultor de negócios da L.A. Fitness Solution, a rede de contatos de um personal trainer é sua principal arma para se dar bem no mercado. 

"O network ainda é a melhor maneira de conseguir alunos e garantir uma boa renda mensal", diz.

Se o profissional conseguir manter uma carteira fixa de clientes, uma franquia deixa de ser atrativa para o negócio, segundo especialistas. Um dos motivos seria a taxa mensal de R$ 490.

Cuidados ao escolher uma franquia

Tempo de mercadoVerifique há quanto tempo a rede atua no mercado. Se a franquia for nova, veja o número de unidades próprias. É por meio delas que a franqueadora adquire experiência e conhecimento da área que irá transmitir aos franqueados
Pesquisa com franqueadosAs redes são obrigadas a apresentar a COF (Circular de Oferta de Franquia) para os interessados. O documento deve indicar endereço, nome e telefone de franqueados e ex-franqueados. É importante ligar para o maior número possível para saber sobre investimento, faturamento, tempo de retorno e lucro
FaturamentoDesconfie de número fantásticos. O ideal é avaliar mais de uma franquia do setor que deseja ingressar para ver se os números são similares. Segundo a ABF (Associação Brasileira de Franchising), o lucro varia de 10% a 15% sobre o faturamento
Prazo de retornoA ABF trabalha com o prazo de retorno de 18 a 24 meses para microfranquias, que exigem um investimento mais baixo, e de 36 meses para franquias, que necessitam de investimento maior
Assinatura de contratoO negócio só pode ser fechado após o prazo de 10 dias da entrega da COF. O objetivo é evitar a assinatura por impulso. A COF informa o número de franqueados ativos e inativos (nos últimos 12 meses), com telefone, ações judiciais contra a empresa e estimativa de investimento, faturamento etc.