PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Inflação em janeiro acelera para 0,38%, mas é a menor para o mês desde 1994

Do UOL, em São Paulo

08/02/2017 09h01Atualizada em 08/02/2017 12h00

O IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), que mede a inflação oficial, acelerou para 0,38% em janeiro, após ficar em 0,3% em dezembro

As informações foram divulgadas pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quarta-feira (8). Foi a menor alta de preços para janeiro desde 1994, quando começa o Plano Real. Matematicamente, a inflação é a menor desde 1979, mas o instituto diz que não é adequado comparar inflações de períodos com moedas diferentes. 

Em janeiro do ano passado, o IPCA foi de 1,27%.

A meta em 2017 é manter a inflação em 4,5% ao ano, mas há uma tolerância de 1,5 ponto, ou seja, pode variar entre 3% e 6%.

No ano passado, a inflação oficial no Brasil foi de 6,29%, dentro do limite máximo da meta. O objetivo era manter a alta dos preços em 4,5% ao ano, mas com tolerância de dois pontos para mais ou para menos, ou seja, podendo variar entre 2,5% e 6,5%. 
 
No acumulado de 12 meses, o índice acumula alta de 5,35%, menos que a esperada e a menor para o período desde setembro de 2012 (+5,28%).

O que você faz para driblar a crise?

Resultado parcial

Total de 25009 votos
13,23%
5,23%
55,94%
18,57%
7,03%
Total de 25009 votos

 

Passagem de ônibus

O aumento da passagem do transporte público (+0,77%), principalmente dos ônibus urbanos, teve o maior peso na alta do IPCA neste mês.

Em média, a tarifa de ônibus ficou 2,84% mais cara. Das 13 regiões pesquisadas pelo IBGE, a passagem subiu em oito, sendo Brasília (+14,75%) e Vitória (+15,19%) as cidades com maior aumento.

As despesas com transporte também foram encarecidas pelo preço maior dos combustíveis (+1,28%). O litro do etanol subiu 3,1%, e o da gasolina, 0,84%.

Já as passagens aéreas, que haviam subido 26,29% em dezembro, caíram 7,36% no mês passado.

Juros X Inflação

No mês passado, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) decidiu cortar a taxa básica de juros (Selic) pela terceira vez seguida. A Selic caiu 0,75 ponto percentual, para 13% ano. 

Foi o maior corte em quase cinco anos. 

Os juros são usados pelo Banco Central para tentar controlar a inflação. De modo geral, quando a inflação está alta, o BC sobe os juros para reduzir o consumo e forçar os preços a caírem. Quando a inflação está baixa, o BC derruba os juros para estimular o consumo. 

A inflação mais baixa que o esperado em 2016 contribuiu para a decisão do Copom de reduzir os juros e o resultado do mês passado pode contribuir para novos cortes.

Como ir à praia e gastar pouco em tempos de crise?

UOL Notícias