Saudada por Dilma há 2 anos, mandioca agora tem safra menor e alta de 72%

Do UOL, em São Paulo

Há pouco mais de dois anos, em junho de 2015, a então presidente Dilma Rousseff fez um discurso na cerimônia de abertura dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas "saudando a mandioca". "Estou saudando a mandioca. Acho uma das maiores conquistas do Brasil", disse. Na época, a frase colocou um dos alimentos básicos da mesa do brasileiro no centro de piadas e críticas à ex-presidente, que sofreria impeachment no ano seguinte.

Em 2017, a mandioca amarga uma safra mais curta e preços mais altos para a indústria, segundo dados do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz).

Em cerimônia com índios, Dilma saúda a mandioca

De acordo com o Cepea, há menor disponibilidade de lavouras para a colheita, que estão concentradas com poucos produtores, o que provoca a safra menor e aumenta os preços. O preço médio para a indústria no primeiro semestre teve alta de 72% em comparação com o mesmo período do ano passado.

A produtividade também está em queda. A previsão de produção indicada pelo IBGE para este ano é de 20 milhões de toneladas, o menor volume produzido desde a década de 1960.

Alta não chegou ao consumidor

Essa alta nos preços, porém, não está chegando ao consumidor, de acordo com o Cepea.

A queda na produção industrial no primeiro semestre refletiu em menor demanda das indústrias de alimentos, bebidas, têxteis e de celulose e de produtos de papel e papelão.

Além disso, o impacto da operação Carne Fraca, deflagrada pela Polícia Federal em março, no setor agropecuário levou frigoríficos a diminuírem o consumo de fécula de mandioca, que é um tipo de farinha.

Com a demanda enfraquecida, as indústrias tiveram dificuldades no repasse das altas para o produto final.

O preço da mandioca caiu 12,35% no ano até maio, segundo dados do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), do IBGE.

2015, o ano em que Dilma se perdeu nos discursos

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos