ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Start-up que arrecadou US$ 6 milhões para 'vinho inteligente' decide fechar

Divulgação
Imagem: Divulgação

Colaboração para o UOL, em São Paulo

23/03/2018 13h16

Uma garrafa de vinho inteligente, que se conecta à internet e tem rótulo digital. Com essa ideia, a start-up norte-americana Kuvée conseguiu arrecadar US$ 6 milhões (R$ 19,8 milhões) em 2016 por meio de uma "vaquinha virtual". Nesta semana (22), porém, a empresa informou que vai encerrar suas atividades.

Segundo comunicado publicado pelo site "Business Insider", a start-up procura um comprador ou parceiro para "alavancar a tecnologia da Kuvée e trazê-la ao mercado como parte de seu próprio modelo de negócios". "Até lá, por favor aceitem nossas sinceras desculpas e entendam quão profundamente isso afeta a todos nós da Kuvée", diz a nota.

Leia também:

Batizada de Kuvée FreshPour, a garrafa vinha com quatro "cápsulas" e era vendida por US$ 178 (cerca de R$ 589). As cápsulas, ou refis, podiam ser de diferentes tipos de vinho, escolhidos pelo cliente a partir de um catálogo oferecido pela empresa.

As cápsulas são introduzidas na parte debaixo da garrafa e, automaticamente, a garrafa identifica o produto e exibe o histórico do vinho em um "rótulo" digital. Esse rótulo também avisa a quantidade de vinho disponível e sua vida útil. Segundo a empresa, a bebida se manteria degustável por 30 dias, mesmo fora da geladeira, porque o sistema de vedação reduziria o contato do vinho com o oxigênio ambiente. 

Agora, com o fim da empresa, os consumidores não terão mais como usar a garrafa, porque apenas a Kuvée vendia as cápsulas para serem usados com ela. Segundo o "Business Insider", as cápsulas estão sendo vendidas agora pela empresa pela metade do preço.

Vijay Manwani, CEO e fundador da start-up, disse que tomou a decisão porque esperava arrecadar "consideravelmente mais". A empresa afirmou, ainda, que um incêndio no ano passado na cidade de Napa, na Califórnia, atingiu vinícolas de fornecedores que trabalhavam com a empresa.

Mais Economia