Topo

Reforma da previdência


Onyx não descarta "bondades" a estados em troca de votos para a Previdência

Dida Sampaio/Estadão Conteúdo
Imagem: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

Antonio Temóteo e Gustavo Maia

Do UOL, em Brasília

11/02/2019 13h19

O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzonzi, afirmou nesta segunda-feira (11) que o presidente Jair Bolsonaro deve ter alta até sexta-feira (15) e que ele se dedicará ao texto final da reforma da Previdência. Lorenzoni não descartou que o governo ofereça um pacote de "bondades" fiscais para os estados em troca de votos para a proposta.

"As equipes do ministro Paulo Guedes continuam trabalhando na formulação final do texto. Antes de pensar nessa questão que envolve os estados, nós temos que definir qual é a proposta final que o presidente vai autorizar que a gente entregue na Câmara e no Senado", disse Lorenzoni após se reunir com o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto. 

Apesar de o chefe da Casa Civil evitar comentários sobre benefícios para os estados, um pacote de bondades para garantir votos está em estudo pela equipe econômica.

Por sugestão do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), Guedes determinou aos auxiliares que estudem projetos que podem trazer vantagens para os estados. Essas medidas tramitariam em conjunto com a reforma da Previdência.

Maia também tem uma série de encontros com governadores, que começou na semana passada. O presidente da Câmara busca apoio dos chefes dos executivos estaduais para garantir votos para a reforma. 

Na semana passada, ele esteve com os governadores do Rio Grande do Sul, do Ceará e de São Paulo. Nesta semana ele se reunirá com os governadores do Piauí, de Pernambuco, de Goiás e do Mato Grosso.

Aposentado que trabalha pode sacar FGTS todo mês?

UOL Notícias

Mais Reforma da previdência