Topo

Brasil precisa de juros baixos e concorrência, diz indicado a diretor do BC

Antonio Temóteo

Do UOL, em Brasília

26/02/2019 12h09

Em sabatina na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado Federal, João Manoel Pinho de Mello, indicado para a diretoria de Organização do Sistema Financeiro do BC (Banco Central), afirmou hoje que o Brasil precisa de juros baixos e maior concorrência bancária. 

"O sistema financeiro deve dar acesso a crédito a juros baixos. Para isso, é essencial que o risco de conceder empréstimos seja baixo e que haja forte competição entre os credores. A taxa de juros é alta sempre que o risco de conceder crédito for alto. A experiência brasileira é prova cabal dessa afirmação", disse. 

Ele declarou que o crédito consignado é um exemplo de sucesso na redução dos juros no Brasil. Pinho de Mello também disse que a duplicata eletrônica e o cadastro positivo são exemplos de projetos aprovados pelo Congresso que contribuirão para a redução de juros. 

"Mas dar segurança tampouco basta. É preciso que haja competição acirrada entre os credores. Sem competição, a queda no custo de conceder empréstimos advinda da redução do risco é apropriada pelos credores, e acaba beneficiando pouco os consumidores e os que fazem investimentos produtivos", disse.

Segundo Pinho de Mello, há quatro maneiras de fomentar a concorrência no setor financeiro. A primeira, disse ele, é dar segurança às garantias e democratizar informações sobre os clientes bancários. A segunda é acompanhar com lupa os atos de concentração, como a compra de bancos que reduz o número de competidores. 

"A terceira maneira de aumentar a concorrência é incentivando a entrada de novos concorrentes no mercado financeiro, de novos provedores de serviços financeiros para um público diversificado, que gerem oferta adicional de serviços financeiros e mais competição com os fornecedores tradicionais", declarou. 

Ele também afirmou que a quarta maneira de fomentar a concorrência no setor bancário é garantir que o mercado se aproveite dos avanços tecnológicos

Entenda o que é o spread bancário e a relação com os juros que você paga

UOL Notícias

Mais Economia