IPCA
0.13 Mai.2019
Topo

Bolsonaro não vai interferir nos juros do BB, diz porta-voz do Planalto

Hanrrikson de Andrade

Do UOL, em Brasília

2019-04-29T18:53:57

29/04/2019 18h53

O "apelo" do presidente Jair Bolsonaro (PSL) para que o Banco do Brasil reduza os juros para o setor agropecuário foi feito em "um ambiente muito amigável" e, por esse motivo, não deveria ter sido levado a sério pelo mercado, disse hoje o porta-voz do Planalto, general Otávio Rêgo Barros.

"Obviamente, o presidente não quer e não intervirá em qualquer aspecto que esteja relacionado a juros nos bancos que estão, em tese, sob o guarda-chuva do governo", disse.

Bolsonaro fez o pedido ao presidente da estatal, Rubem Novaes, durante a Agrishow (Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação), feira do setor agropecuário realizada em Ribeirão Preto (a 313 km de São Paulo).

"Apelo, Rubem, para seu coração e patriotismo, que esses juros caiam um pouco mais", disse.

Depois da declaração, as ações do BB, que operavam em alta, chegaram a cair 1% logo depois do episódio. Ao longo da tarde, porém, voltaram a subir e fecharam com leve ganho de 0,04%, a R$ 49,37.

Em 2012, a então presidente Dilma Rousseff (PT) foi criticada por economistas e pelo mercado financeiro por determinar que bancos públicos, como o BB, baixassem os juros.

O que é preciso para os juros caírem de verdade no Brasil?

UOL Notícias

Mais Economia