Topo

Paulo Guedes a investidores: "retomada lenta, mas persistente"

O ministro da Economia, Paulo Guedes - Mauro Pimentel/AFP
O ministro da Economia, Paulo Guedes Imagem: Mauro Pimentel/AFP

Bernardo Barbosa

Do UOL, em São Paulo

10/10/2019 12h22

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou hoje a uma plateia de investidores em São Paulo que o Brasil passa por uma retomada econômica "lenta, mas persistente", e que de forma inédita seria puxada pelo setor privado, sem depender de crédito público.

"Não tem nenhum estímulo artificial", disse. "Éramos uma economia viciada em gasto público, e nós estamos mudando o eixo para uma economia de mercado."

Guedes falou sobre o assunto durante o Fórum de Investimentos Brasil 2019, que acontece hoje e amanhã na capital paulista.

Só hoje de manhã, o ministro fez dois discursos no evento. Em ambos, buscou apresentar aos presentes um ambiente convidativo para investimentos e que seria diferente do que existia sob governos anteriores.

Guedes insistiu na defesa das reformas pretendidas pelo governo e chegou a elogiar a postura do Congresso na tramitação da reforma da Previdência, classificando as alterações no texto como representação de uma "democracia vibrante".

Durante a votação em primeiro turno, no começo do mês, o Senado reduziu o impacto da reforma em R$ 133,2 bilhões. O segundo turno está marcado para o dia 22.

Guedes também exaltou o acordo comercial entre Mercosul e União Europeia, e falou em conversas para pactos com Canadá, Japão e Coreia do Sul.

O ministro também afirmou que o Brasil está "indo em direção a um Banco Central independente".

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) também discursou no fórum e, como vem fazendo desde que assumiu o governo quis passar a mensagem de que não interfere na área econômica.

Bolsonaro elogiou Guedes, por quem se disse "convencido" ao liberalismo econômico, apesar da formação "estatizante" que teve como militar, e destacou a autonomia do ministro dizendo que não fez indicações políticas no Ministério da Economia.

Economia