PUBLICIDADE
IPCA
-0,31 Abr.2020
Topo

Por que o preço do petróleo despencou e derrubou Bolsas pelo mundo todo?

Filipe Andretta

Do UOL, em São Paulo

09/03/2020 15h05

O mercado financeiro começou a semana em pânico no mundo todo. O dólar opera em alta, e as Bolsas estão caindo tanto que chegaram a ter negociações suspensas temporariamente no Brasil e nos Estados Unidos.

O caos ocorre por causa de uma guerra de preços no mercado internacional de petróleo, protagonizada por Rússia e Arábia Saudita, o que derrubou o preço do petróleo.

Entenda a crise que mexeu com o preço do petróleo e por que ela impactou fortemente o mercado.

Como é definido o preço do petróleo?

O petróleo é uma commodity (matéria-prima) cujo preço é definido no mercado internacional, em dólar. Esse preço depende principalmente da produção e do consumo de petróleo no mundo.

Petróleo já caía desde o começo do ano; por quê?

A cotação já vinha em queda desde o começo do ano, principalmente por causa do coronavírus, que começou na China e se disseminou rapidamente para outras países, incluindo o Brasil.

Nos lugares mais afetados pela covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus, muita gente precisou ficar reclusa, em casa. Isso diminuiu o consumo de combustíveis.

Com essa redução, o estoque ficou mais alto, e a procura por petróleo para produzir mais combustíveis caiu. Pela lei da oferta e da procura, o barril de petróleo perdeu valor.

No começo de 2020, o barril do petróleo Brent (referência para o preço internacional) valia cerca de US$ 66. Em meados de fevereiro, caiu para US$ 53.

Por que o preço despencou hoje?

Diante da desvalorização recente do petróleo, a Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) passou a considerar cortes na produção de petróleo. A ideia era que, com menos petróleo no mercado, o preço subisse.

As negociações avançaram até este final de semana, mas não terminaram bem. A Rússia, que não faz parte da Opep, se recusou a apoiar os cortes, e a organização respondeu removendo seus próprios limites de produção.

Com o fracasso da tentativa de acordo, a Arábia Saudita, líder da Opep e maior exportador de petróleo do mundo, decidiu ontem diminuir os preços da matéria-prima e ampliar a produção em abril. O país tenta, assim, aproveitar a crise dos preços para ganhar mercado.

O desfecho da disputa comercial entre os sauditas e os russos fez a cotação do petróleo despencar nesta segunda-feira. O preço chegou a recuar 30% pela manhã, na maior queda desde a Guerra do Golfo, em 1991.

Por que a queda do petróleo afetou tanto as Bolsas?

A crise do petróleo gerou mais um fator de insegurança para investidores, que já estavam receosos por causa do coronavírus.

A queda na cotação do petróleo diminui a receita de países que produzem a matéria-prima e recebem royalties proporcionais ao valor de produção. O Brasil é um deles.

Se os preços continuarem baixos por muito tempo, o lucro das grandes companhias petroleiras fica prejudicado. Isso afasta investidores dos ativos de maior risco, principalmente as ações. Com a venda generalizada de ações, as Bolsas perdem valor.

As ações da Petrobras no Brasil chegaram a cair mais 25% na manhã desta segunda —a maior queda já registrada para ativos da estatal.

Os investidores preferem opções mais seguras, como os títulos do Tesouro dos EUA, a maior economia do mundo, o ouro e o dólar. A corrida para o dólar contribuiu para a valorização da moeda. No Brasil, ela chegou a encostar em R$ 4,80 nesta segunda.

O que é a Opep?

A Opep foi fundada em setembro de 1960 por cinco países (Arábia Saudita, Irã, Iraque, Kuait e Venezuela). São grandes exportadores de petróleo que, na prática, abastecem boa parte do resto do mundo. Ao longo dos anos, o grupo incluiu mais membros.

Os países hoje integrantes da Opep são:

  • Angola
  • Arábia Saudita
  • Argélia
  • Congo
  • Emirados Árabes Unidos
  • Equador
  • Guiné Equatorial
  • Gabão
  • Irã
  • Iraque
  • Kuait
  • Líbia
  • Nigéria
  • Qatar
  • Venezuela

Veja mais economia de um jeito fácil de entender: @uoleconomia no Instagram.
Ouça os podcasts Mídia e Marketing, sobre propaganda e criação, e UOL Líderes, com CEOs de empresas.
Mais podcasts do UOL no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas

UOL Economia Explica