PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Mercados britânicos adotam racionamento em meio a pandemia de coronavírus

Objetivo é evitar desabastecimento e disparada de preços no varejo - Getty Images
Objetivo é evitar desabastecimento e disparada de preços no varejo Imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo

18/03/2020 18h00

Supermercados do Reino Unido estão introduzindo o racionamento de produtos em meio à pandemia do novo coronavírus, repetindo uma medida que não era colocada em prática desde o período posterior à Segunda Guerra Mundial.

De acordo com a imprensa local, redes como Sainsbury's, Tesco e Asda têm oferecido restrições de produtos considerados essenciais em suas lojas para evitar o desabastecimento e a disparada de preços.

O jornal The Sun informa que varejistas britânicos vêm tendo dificuldades para manter itens como papel higiênico, macarrão, álcool em gel e pão, entre outros, em suas prateleiras. Por isso, decidiriam racionar produtos, a exemplo do que aconteceu entre 1940 e 1954.

As redes Sainsbury's e Asda, por exemplo, restringiram as compras dos consumidores — cada um pode comprar três itens de cada produto. A Lidl, por sua vez, permite quantidades "domésticas". O e-commerce Ocado permite a compra máxima de dois pacotes de papel higiênico e duas embalagens de álcool em gel.

No caso da rede Tesco, o diretor-executivo da rede, Dave Lewis explicou que a situação é nova para a empresa — que também tem limitado a compra a três itens de cada produto por consumidor.

"É justo dizermos que nos vemos neste momento em águas desconhecidas. A Covid-19 está trazendo uma mudança para o Reino Unido, e é claro que várias coisas vão mudar para que possamos passar por isso", escreveu Lewis em comunicado aos funcionários da companhia, segundo o jornal London Evening Standard.