PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Ideia de 4 meses sem salário partiu da Secretaria Especial de Previdência

Antonio Temóteo e Guilherme Mazieiro

Do UOL, em Brasília

23/03/2020 15h55

A proposta de suspender os contratos de trabalho por quatro meses, sem o pagamento de salários, partiu da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, segundo apurou o UOL.

Esse trecho constava na MP (Medida Provisória) nº 927, publicada na noite de domingo (22). Após a repercussão negativa, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) determinou que esse ponto fosse retirado do texto enviado ao Congresso Nacional.

A Secretaria Especial de Previdência e Trabalho é comandada por Bruno Bianco, que foi às redes sociais defender a medida, após uma enxurrada de críticas de trabalhadores, parlamentares e integrantes do próprio governo. O UOL procurou a secretaria e não teve resposta até a publicação deste texto.

Medida não havia sido comentada antes

Na última semana, Bianco anunciou diversas medidas que afetariam a vida dos trabalhadores. Afirmou, por exemplo, que o governo autorizaria a redução da jornada de trabalho e dos salários. Entretanto, ele não fez qualquer menção a suspender contratos de trabalho e salários.

A equipe econômica tem sido pressionada pela ala política do governo, por empresários e por parlamentares a custear os salários dos trabalhadores da iniciativa privada. Entre as medidas em estudo estariam suspender os contratos de trabalho e liberar o pagamento do seguro desemprego por três meses.

Parlamentares se disseram surpresos

Parlamentares que acompanham as negociações disseram que ficaram surpresos com a proposta publicada pelo governo. Segundo eles, o que estava na mesa era a proposta de suspensão dos contratos, mas com alguma garantia de renda aos trabalhadores.

"Ninguém entende nada. Foi combinado uma coisa e publicada outra", disse um líder do centrão, grupo informal e majoritário da Câmara.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), criticou o texto, que chamou de capenga. "Até perguntei na equipe econômica se não sumiu em algum lugar da burocracia ou tiraram parte da medida provisória", declarou, em evento online do BTG Pactual.

Veja mais economia de um jeito fácil de entender: @uoleconomia no Instagram.
Ouça os podcasts Mídia e Marketing, sobre propaganda e criação, e UOL Líderes, com CEOs de empresas.
Mais podcasts do UOL em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas.