PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Após fala de sócio, Huck diz que é preciso "enxergar coletivo" em crise

Luciano Huck  - Globo
Luciano Huck Imagem: Globo

Do UOL, em São Paulo

24/03/2020 18h11

O apresentador Luciano Huck, virtual candidato à presidência da República, disse na tarde de hoje que é preciso "deixar interesses materiais de lado e enxergar o coletivo" em momentos de crise, como este.

"A lógica da economia e dos negócios nesse momento, ou deixa os interesses materiais imediatos de lado e enxerga o coletivo de forma coerente com o que dizem a ciência e os exemplos do passado, ou é equivocada e desumana", iniciou ele, em seu perfil no Twitter.

"Sempre gostei de empreender. Ao longo da vida tive, e tenho, um número expressivo de sócios, em especial fundadores das empresas nas quais investi. Não seria razoável imaginar que todos pensassem da mesma forma sobre tudo. É normal que haja divergências importantes em diversos campos, inclusive ideológicos e políticos. Isso é a democracia. Ouço e pondero as opiniões que diferem das minhas. Mas minhas convicções mais profundas não se abalam", completou.

A reação de Huck ocorre pouco tempo depois que o empresário Junior Durski, dono da rede de restaurantes Madero e Jeronimo Burger e sócio de Huck, mostrou mais preocupação com os efeitos da quarentena na economia do que com as vidas perdidas pela doença. (Assista ao vídeo abaixo)

Durski manifestou opinião contrária à medida dos governadores, de limitarem o funcionamento do comércio, já que, para ele, o Brasil não pode ficar parado porque necessita de mão de obra para andar. O empresário ainda citou que o impacto econômico no futuro será maior do que as mortes que estão ocorrendo hoje por causa do coronavírus.

Durante a madrugada, o termo Madero ficou entre os assuntos mais falados do Twitter. Muitos repudiaram o comportamento de Junior Durski e até sugeriram boicote à sua rede de restaurantes.