PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Onyx: 'Segunda parcela do auxílio deve ser paga a partir da semana que vem'

LUIS LIMA JR/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO
Imagem: LUIS LIMA JR/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em São Paulo

30/04/2020 20h18

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, informou hoje que a segunda parcela do auxílio emergencial de 600 reais deve começar a ser paga na semana que vem. Em seguida, ele tranquilizou as pessoas que ainda não receberam a primeira parte do benefício.

"Provavelmente do meio para o fim da semana que vem, nós vamos começar a pagar a segunda parcela. Mas quem não recebeu a primeira, fique em paz! Ninguém perde parcela", afirmou o ministro em participação no programa "Brasil Urgente", da TV Bandeirantes.

"Hoje, nós concluímos todos os cadastros feitos até o dia 26 de abril. Estão indo para a Caixa. Mais de seis milhões de pessoas estão indo para a Caixa hoje à noite, e essas são pessoas que serão pagas na segunda e terça da semana que vem", explicou.

Onyx aproveitou para criticar as pessoas que tentaram receber o benefício sem ter direito a ele. Segundo o ministro, 96 milhões de cidadãos já foram analisados, e 32 milhões não foram considerados elegíveis.

"São pessoas que entraram no sistema para burlar o sistema ou fazer a 'atenteada' [sic]. O cara tenta para ver se o sistema falha e se ele recebe o dinheiro a que não tem direito. É falta de solidariedade. Nós somos obrigados a revisar, nós perdemos tempo", lamentou.

onyx - Isac Nóbrega/PR - Isac Nóbrega/PR
Imagem: Isac Nóbrega/PR

Onyx promete site com detalhes de "transparência"

O chefe da Cidadania afirmou que a pasta trabalha para colocar no ar um site que dará ao cidadão (mais de 13 milhões de pessoas estão com "CPF inconclusivo", de acordo com Onyx) informações mais detalhadas sobre o que houve com seu cadastro.

"Hoje, as equipes já começaram a procurar soluções para que esses 13 milhões façam o recadastramento. É um trabalho grande, e nós estaremos seguramente na próxima semana concluindo a verificação dessas pessoas. Estamos trabalhando para colocar um site no ar para a pessoa saber exatamente o que aconteceu com ela. É transparência total", anunciou.

Sentado ao lado de Onyx durante a entrevista ao "Brasil Urgente", o secretário executivo Antonio Barreto foi além na explicação sobre o site e disse por que tantos cadastros são inconclusivos.

"A ideia é facilitar a informação. O site vai mostrar por que a pessoa foi inelegível. Quando a gente estudar a elegibilidade, a gente vai poder detalhar um pouco melhor para mostrar para ele", contou Barreto.

"A gente tem filhos cadastrados com pai e mãe separados. Quem é o chefe dessa família, como eu vou creditar? Essas situações geram o cadastro inconclusivo, que a gente devolve ao aplicativo para que a pessoa recadastre novamente. Quando a gente tiver esse momento de dúvida, com pai e mãe que cadastraram a mesma família, é a família convergente", acrescentou.

"A gente faz análise da composição familiar, o que importa é quem reside [com os filhos]. Se os filhos residirem com ela, e ela tiver carteira assinada, não tem como fazer benefício para eles. Essa família vai dar como reprovada. Se os filhos residem com o pai, e ele paga pensão, imagino que ele tenha renda comprovada, então também não vai ter o dinheiro. Mas o que importa é com quem [o filho] reside", concluiu Barreto.

dinheiro - Ilton Rogerio/Getty Images/iStockphoto - Ilton Rogerio/Getty Images/iStockphoto
Imagem: Ilton Rogerio/Getty Images/iStockphoto

VP da Caixa quer reduzir filas: "Evite ir à agência"

Paulo Ângelo, vice-presidente de varejo da Caixa, também esteve ao vivo no "Brasil Urgente" hoje. O dirigente pediu para que a população evite ir às agências para não superlotá-las, já que existem pessoas com maior dificuldade para lidar com o aplicativo e precisam receber assistência direta dos funcionários.

"É uma operação extraordinária, não tem precedentes. Tem gente que não tem nada a ver com auxílio, que quer falar com funcionário da Caixa. Eu peço à população que não tem o benefício que não procure a agência, que fique em casa, para que a gente possa atender quem precisa", disse.

"Se você não precisa, não procure a agência agora, não. Deixa a gente só atender as pessoas que realmente são mais simples, que precisam do apoio do funcionário do banco. Eu estou confiante de que nos próximos dias nós teremos redução do tempo de fila", comentou Paulo.

"Nós temos milhões de transações sendo feitas, o aplicativo está sendo melhorado a cada dia. Não está perfeito, [o aplicativo] tem problemas, e a Caixa tem trabalhado todos os dias para melhorar. Nós estamos, sim, todos os dias, melhorando o aplicativo com milhões de pessoas acessando", afirmou o vice-presidente de varejo.

Ele avisa que as agências da Caixa estarão abertas depois de amanhã, das 8h às 14h (de Brasília), para atender aos cidadãos que precisam de ajuda com auxílio emergencial e poupança digital.

"A gente atende o brasileiro mais simples, tem muitas pessoas que vão procurar a agência para aprender a mexer no celular e no aplicativo. Tem muita gente que confia na Caixa e procura a agência. Eu fui à agência para conversar com as pessoas e entender. (...) O cidadão mais simples tem dificuldade de apertar o botão do caixa eletrônico!", falou.