PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Sem produção, país se torna Venezuela e terá prateleiras vazias, diz Guedes

Ministro da Economia lembrou situação complicada vivida pelos vizinhos venezuelanos - Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência O Globo
Ministro da Economia lembrou situação complicada vivida pelos vizinhos venezuelanos Imagem: Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência O Globo

Antonio Temóteo

Do UOL, em Brasília

30/04/2020 12h48

O ministro da Economia, Paulo Guedes, declarou hoje que a manutenção do isolamento social e a extensão dos pagamentos do auxílio emergencial podem levar o país a se transformar na Venezuela. Segundo ele, a população teria dinheiro no bolso, prateleiras vazias e mais inflação.

A afirmação foi feita para responder a uma pergunta do senador Rogério Carvalho (PT-SE) durante audiência pública no Congresso Nacional, que questionava o tempo de duração da pandemia e se o pagamento do auxílio emergencial deveria ser estendido.

"Temos que pensar no outro lado. Se a produção for interrompida, com duração maior do isolamento, quando mais dinheiro for dado podemos cair na situação da Venezuela. Todo mundo com dinheiro na mão, mas a prateleira vazia. É importante que produção exista", afirmou.

"Temos que manter os sinais vitais da economia, como tem sido. A supersafra está vindo, você pode dar o auxílio emergencial que ele vira compra de comida. Não pode interromper os sinais vitais e continuar com mais auxílio. Aí teremos prateleiras vazias e inflação", disse Guedes.

Choque externo

Guedes também declarou que a economia brasileira não tem passado por choque externo. Segundo ele, o país continua a exportar para a China, mesmo com a pandemia do coronavírus.

"As exportações para Estados Unidos e Argentina caíram mais de 30%, mas as vendas para a China subiram 25% ou 26%. Com isso, as exportações brasileiras estão inalteradas, subiram em agronegócio e caíram em manufaturados", afirmou.