PUBLICIDADE
IPCA
+0,93 Mar.2021
Topo

Caiado diz que Caixa prejudica isolamento com método do auxílio emergencial

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM) - Reprodução
O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM) Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

05/05/2020 18h41

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), criticou hoje o modelo usado pela Caixa para o cadastro e pagamento do auxílio emergencial de R$ 600 para os trabalhadores informais durante a pandemia do novo coronavírus. Caiado disse que as agências e lotéricas credenciadas pelo banco estão provocando aglomerações e prejudicando os índices de isolamento social no estado.

"Esse cadastramento da Caixa tem provocado um fluxo enorme de pessoas nas agências e lotéricas. Eu tenho discutido com o presidente da Caixa, por que não expandir isso para todos os bancos sem fazer sem essa aglomeração. Precisamos de uma forma que seja menos aglutinadoras de pessoas do que essa que causa filas de quilômetros e quilômetros", disse Caiado em evento online promovido pela FGV (Fundação Getúlio Vargas).

O governador goiano rejeitou tomar medidas mais restritivas para tentar conter a propagação da covid-19. "Isolamento total de Goiás, tipo lockdown, não, eu tomei as medidas muito restritivas desde o começo. Hoje houve uma queda significativa do nosso isolamento social, nós chegamos a atingir 66,4%, que já foi o mais alto índice do país, mas nós caímos a patamares preocupantes. Desde sexta-feira nós implementamos nova metodologia, fiscalização em todas as empresas, para saber se estavam cumprindo o nosso protocolo geral, e fizemos com que as coisas voltassem ao normal de forma gradual", afirmou.

Caiado disse que as medidas de controle seguirão se baseando em fiscalização. "As prefeituras estão cassando alvarás. As pessoas, ao entrarem em estabelecimentos sem máscaras, a empresa será multada. É algo que estamos trabalhando no sentido da pessoa entender que pode ter problemas (com leitos de hospitais)", disse.