PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Jane Fraser é nomeada CEO, a primeira mulher a dirigir o Citigroup

Jane Fraser é a nova CEO do Citigroup - REUTERS/Erin Scott
Jane Fraser é a nova CEO do Citigroup Imagem: REUTERS/Erin Scott

Do UOL, em São Paulo

10/09/2020 15h27

Jane Fraser foi anunciada hoje como CEO do Citigroup, a primeira mulher a ocupar esta posição no grupo. A norte-americana tornou-se também a primeira mulher em tal cargo em um banco de grande porte dos Estados Unidos, de acordo com a imprensa norte-americana.

Fraser atuava na direção do varejo do Citi e substituirá Michael Corbat a partir de fevereiro de 2021, quando ele vai se aposentar após 37 anos de serviços prestados ao banco, segundo a CNN.

"Eu trabalhei por muitos anos com a Jane e estou orgulhoso de ser sucedido por ela. Com sua liderança, experiência e valores, sei que ela será uma excelente CEO", afirmou Corbat, em comunicado.

Corbat foi responsável por estabilizar o Citi no período da recessão de 2008, e Fraser assume o cargo em outro momento delicado da economia.

A norte-americana trabalha há 16 anos no Citigroup e sua ascensão se tornou notória em outubro de 2019, quando chegou ao papel de presidente.

"Estou honrada com a decisão e grata a Mike por sua liderança e apoio. O Citi é uma instituição incrível, com uma história de orgulho e um futuro brilhante. Estou empolgada em me juntar a meus colegas e escrever o próximo capítulo", afirmou Fraser, em nota.

Pressão por diversidade

O setor de bancos estava sob crescente pressão desde o ano passado para melhorar a diversidade em sua liderança.

Em abril de 2019, homens brancos no comando dos sete dos maiores bancos do EUA foram interrogados em uma audiência no Congresso sobre o motivo de suas empresas nunca colocaram uma mulher na liderança. Vários, incluindo Corbat, disseram que é possível pensar na indicação de uma mulher para substituí-los.

Fraser, discreta, não falava abertamente sobre uma ascensão ao topo. "Estou ansiosa para ver uma mulher sendo a primeira CEO de uma empresa de Wall Street. Quem quer que seja", disse ela, em 2019, de acordo com a Bloomberg.