PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Doria anuncia plano de retomada econômica e promete 2 milhões de empregos

Governador João Doria anunciou o Plano de Retomada 21-22 durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes - ROBERTO CASIMIRO/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO
Governador João Doria anunciou o Plano de Retomada 21-22 durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes Imagem: ROBERTO CASIMIRO/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

Allan Brito, Felipe Pereira e Rafael Bragança

Do UOL, em São Paulo e Colaboração para o UOL, em São Paulo

16/10/2020 12h57

O governador de São Paulo João Doria (PSDB) anunciou hoje um plano de retomada da economia com foco na recuperação de investimentos após a crise causada pela pandemia do novo coronavírus. A intenção do governo paulista é atrair investimentos privados no valor de R$ 36 bilhões para obras principalmente de infraestrutura e transportes. O governo estima criar 2 milhões de empregos em quatro anos.

"O objetivo do plano é crescimento e gerar mais emprego e renda, por meio da atração de investimento privado internacional e multinacional. Envolve linhas de trem, metrô, rodovias, aeroportos, entre outros setores. Serão beneficiados 14 polos de desenvolvimento", disse Doria durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo.

O governo de São Paulo pretende atrair os investimentos por meio de concessões e PPP (Parcerias Público-Privadas) em 19 projetos que fazem parte do Plano de Retomada 21-22. Responsável pela coordenação do projeto, o secretário estadual da Fazenda, Henrique Meirelles, prevê que 84% do investimento deve ser destinado a transportes, mobilidade urbana e rodovias. Segurança pública receberia 8% e educação, 4%.

O plano também prevê medidas para reduzir a burocracia e a expansão de missões do governo estadual para buscar negócios no exterior. Na quarta-feira, Doria já havia anunciado a criação de um escritório na Alemanha. Para encorajar o capital internacional, Doria sempre ressalta que o estado tem compromisso ambiental, numa tentativa de melhorar a imagem nesta área, que vem sendo alvo de críticas no exterior em relação ao governo federal.

"É o mais audacioso plano de desenvolvimento econômico já realizado em São Paulo. Só podemos fazer isso por uma equipe de economia integrada e liderada pelo Henrique Meirelles", afirmou o governador paulista.

Trem São Paulo-Campinas

O plano paulista prevê a grande concentração desses possíveis investimentos nos setores de transporte, mobilidade e rodovias, que devem responder por 84% dos volumes investidos. Também estão previstos aportes da iniciativa privada em segurança, lazer, educação e parques estaduais.

O destaque no setor de transportes é o projeto de um trem de passageiros que ligaria São Paulo a Campinas, fazendo um trajeto de cerca de 100 quilômetros. A ligação por trilhos traria um investimento de US$ 1,4 bilhão.

"É um trem que vai transportar 565 mil passageiros por dia, com investimento de 1,4 bilhão de dólares. É o sistema de alta velocidade, que é o mais eficaz para transporte nas macrometrópoles", disse Meirelles sobre o projeto.

São Paulo já teve um projeto parecido, na época da Copa do Mundo de 2014. Mas Doria disse que dessa vez é tudo diferente. Ele acredita que a ideia sairá do papel porque já tem investidores estrangeiros interessados.

"O governo de São Paulo nunca teve projeto de trem bala, nem nesse governo nem em outro. Recomendo que perguntem para a Dilma sobre trem bala. Ela tinha projeto de trem bala. Só trabalhamos com opções inviáveis, não com absurdos. Trem bala é absurdo. Só na ideia de pessoas que não conhecem logística e não têm bom senso para apresentar proposta de trem bala no Brasil. Nosso trem será um trem de média velocidade. E sobre investidores, teremos uma grande disputa. Teremos investidores chineses, franceses, espanhóis e japoneses", revelou o governador.

Também estão previstas renovações e novas concessões de rodovias, com previsão de investimentos de US$ 600 milhões, e a construção das linhas 8 e 9 da CPTM, com aporte de US$ 500 milhões.

Nos transportes, o plano ainda prevê a concessão de 22 aeroportos regionais, no valor de US$ 80 milhões.

Em outras áreas, destacam-se a concessão do Complexo do Ibirapuera, que inclui seu ginásio, no valor de US$ 200 milhões, e também do Zoológico da capital e do Jardim Botânico, com investimentos previstos de US$ 70 milhões.

Doria, porém, não se comprometeu ainda com prazos para os pontos previstos pelo plano e prometeu fazer isso no futuro.

"As datas dos editais serão informadas oportunamente. São 24 meses e, ao longo das próximas semanas e meses, vamos anunciando datas de cada um dos 19 projetos anunciados aqui", revelou Doria.

PIB

Ao comentar sobre a retomada econômica, Henrique Meirelles fez uma previsão sobre como será o PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil e de São Paulo em 2020 e 2021.

"Nossa previsão é que São Paulo deve cair entre 2,5% e 3% em 2020, que é uma taxa substancialmente menor que o desempenho médio do Brasil e de outros países. Para p próximo ano estamos esperando crescimento de mais de 5% Temos expectativa de crescimento para o Brasil de 2,5% a 3%, mas achamos que São Paulo deve ser o dobro disso. Principalmente impulsionado pela Retomada 21/22. Estamos no meio da pandemia, tem uma série de incertezas, mas temos razões sólidas para uma visão de confiança, em função do desenvolvimento da vacina. A vacina é fundamental para dar confiança à economia", concluiu Meirelles.