PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

Frente Parlamentar defende continuidade do auxílio emergencial

Imagem ilustrativa de auxílio emergencial - Rafael Henrique/Getty Images
Imagem ilustrativa de auxílio emergencial Imagem: Rafael Henrique/Getty Images

Da Agência Senado

10/02/2021 17h30

A Frente Parlamentar Mista de Renda Básica divulgou nesta quarta-feira (10) manifesto pela prorrogação do auxílio emergencial e ampliação do Bolsa Família. O evento, realizado no Salão Verde da Câmara dos Deputados, reafirmou a defesa de senadores e deputados da manutenção da assistência financeira aos mais pobres enquanto durar a crise em decorrência da pandemia de covid-19.

O documento, apresentado pelo vice-presidente da Frente Parlamentar, senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), destaca que passados quase 12 meses do primeiro caso confirmado de covid-19 no Brasil, o país voltou à marca de mais de mil óbitos e 50 mil infectados por dia. Os impactos provocados pela segunda onda de contágio do vírus já indicam que o Congresso deve atuar para garantir aos mais vulneráveis "condições reais para viverem com um mínimo de cidadania, em tempos tão difíceis".

"Sem auxílio emergencial e diante do aumento do desemprego, a população brasileira está sofrendo com a penúria da fome e com medo de uma doença invisível que já causou tantas mortes. Por isso, mais uma vez, é hora de nos unirmos e termos coragem para dar um passo adiante na construção de um caminho sólido que garanta dignidade ao nosso povo", aponta a frente parlamentar.

Pobreza extrema

Os parlamentares argumentam que, com o fim do auxílio, em dezembro de 2020, 12,8% dos brasileiros passaram a viver com menos de R$ 246 por mês, de acordo com a PNAD Contínua e a PNAD Covid 19.

"São quase 27 milhões de pessoas em situação de extrema pobreza. Estamos cientes de que será um grande desafio e de que precisamos enfrentá-lo com responsabilidade social e fiscal, para garantir sua sustentabilidade ao longo das gerações. Mas também estamos cientes de que não será possível construir um país desenvolvido deixando uma geração inteira para trás. Nenhum cidadão pode ficar desassistido no meio de uma crise sanitária, econômica e social como essa", enfatiza o documento.

Vacinação lenta

Além de Alessandro Vieira, também participaram do evento a senadora Leila Barros (PSB-DF) e o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Pelas redes sociais, Randolfe reforçou sua defesa pela prorrogação do auxílio. "Começamos a quarta-feira com uma reunião junto à coordenação da Campanha pela Renda Básica e logo após, um ato pela manutenção do auxílio emergencial para impedir que milhões de brasileiros sejam empurrados para a miséria. A pandemia não acabou e nossa campanha de vacinação segue em ritmo lento, situações mais do que propícias para que sigamos contabilizando milhares de contaminações e mortes diárias em função da covid-19", disse.

Apoio

A Frente Parlamentar Mista de Renda Básica é formada por 214 parlamentares de 23 partidos, e não tem posição consolidada sobre valor e extensão do auxílio emergencial. Além dos senadores que estiveram presentes, também assinaram o documento os senadores: Tasso Jereissati (PSDB-CE), Humberto Costa (PT-PE) as senadoras Simone Tebet (MDB-MS) e Kátia Abreu (PP-TO). Também referendam o manifesto 35 organizações e movimentos que representam a sociedade civil como a Central de Movimentos Populares; os governadores do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite; de Pernambuco, Paulo Câmara; do Maranhão, Flávio Dino e prefeitos de várias capitais do país.